Comentários no Blog

Procure um conto que você mais se identificou e deixe nele um comentário falando o que quiser e fazendo o seu classificado ou propaganda para conseguir contatos.

Se preferir enviar um conto, remeta para maridodaisabela@gmail.com

sábado, 1 de novembro de 2008

Ser corno por prazer

Sou Português vivo no Porto 48 anos casado com a Helena de 42 , não é por ser minha mulher mas é um borracho , mesmo com os seus 42 anos ainda deixa os homens a babar , temos uma vida sexual completa , desde que casamos que tinha o desejo de a ver a ser comida por outro homem , nas primeiras vezes que lhe falei nesse desejo ela ficou brava , com o passar dos tempos foi aceitando mais a ideia até que em 1998 deu o primeiro passo na realização do meu desejo .

Num belo fim de semana do mês de Julho , fomos a uma festa de abertura de um establecimento de um amigo , estava lá tambem um outro amigo nosso de longa data , esse amigo o Paulo embora na brincadeira desde sempre tentou galar a minha mulher , da parte da minha mulher havia por ele uma certa empatia e até um certo apreço , eu tinha falado com ele uns meses antes sobre do meu desejo de a ver a ser comida , na festa ele aproveitou uma altura em que a minha mulher tinha ido á casa de banho para me falar sobre o assunto , perguntou-me se já tinha realizado o desejo , disse-lhe que não , ele pergunta-me se podia tentar ele a sorte , dei-lhe toda a liberdade para tentar .

Durante todo o tempo que lá ficamos ele andou sempre em cima dela , pelo calor que fazia e com a ajuda do champagne a minha mulher estava cheia de calor e andava só com uma blusa finissima que deixava ver o soutien minusculo e boa parte das mamas , já no fim da tarde e depois de ter bebido uns 6 ou 7 copos de champagne estava mais espirituosa que o habitual , longe de estar toldada mas bem mais solta , o Paulo ao aperceber-se disso começou a arriscar mais e sempre que podia apalpava-a , nas primeiras vezes ela ainda o repeliu mas depois da 3ª ou 4ª vez deixou andar , ele apalpava-a desde as coxas até ás mamas , chegando uma ou outra vez a meter a mão na cueca dela .

Por volta das 19h ela diz para ir-mos embora , o Paulo convida-nos para jantar com ele , eu aceitei de imediato , ela resistiu mais um pouco mas lá aceitou tambem , saímos da festa os 3 , para não irem 2 carros fomos deixar o nosso a casa para depois seguirmos no dele , mas quando chegamos lá ela quis ir á casa de banho , entramos em casa e ela foi á casa de banho , eu e ele ficamos na sala , quando ela se juntou a nós diz-nos que podiamos jantar em casa , mandava-se vir qualquer coisa e ficavamos ali mais sossegados , concordamos e mandamos vir pizas , enquanto esperavamos ela foi tomar banho .

Quando acabou o banho e voltou para junto de nós tive a surpresa da minha vida , ela vinha só com um robe completamente transparente e sem mais nada por baixo , o Paulo quase caía do sofá ao vê-la assim , ela com um sorriso na cara passa por nós a rebolar-se e senta-se no meio de nós , pergunta se já tinham chegado as pizas , respondo que não , ela sorri e sem mais nada beija-me , ao chegar-se a mim para me beijar o robe abriu-se deixando o corpo todo bem exposto , quando se endireitou o robe ficou aberto , não era preciso ser muito esperto para ver o que ela queria , o Paulo olhou para mim como que a pedir licença para avançar , acenei-lhe com a cabeça em sinal positivo , ele sem mais demora pousa a mão sobre a coxa dela e acaricia-a , mal ele pousa a mão ela abre as pernas , ele acaricia a coxa até lhe tocar na cona , quando ele lhe toca ela pousa a mão dela por cima da dele e faz força contra a cona , dá um gemido e diz ( queres comê-la ) ele diz logo que sim , ela chega-se a ele e beija-o , fazem um linguado , as mãos dele corriam o corpo dela todo , ela vai abrindo-lhe a camisa e acaricia-lhe o peito , nessa altura toca a campaínha , vou abrir , recebo as pizas e volto para a sala , ela já agarrava o pau dele , baixa a cabeça e mama-o , chupa-o uns 3 ou 4 minutos e diz ( anda come-me , fode-me para o teu amigo ver , anda põe-lhe os cornos ) levanta-se e põe-se de 4 em cima do sofá , ele põe-se por trás dela e mete-lhe na cona , mal a penetra ela diz ( isso fode-me , mete-me esse pau todo , anda fode-me para o teu amigo ver , fode-me , isso assim fode-me ) ele agarrava-lhe a anca e fodia-a forte , ela começa a gemer , olha para mim e diz ( era isto que querias , era , querias ser corno , olha como ele me fode , olha , ui que piça boa , queres que me venha no pau dele queres , vais ver eu a vir-me neste pau delicioso ) continua a gemer cada vez mais alto , começa a gritar e vem-se olha para mim e diz ( ai que bom que boa piça , faz-me vir bem depressa , anda corno vê como ele me faz vir , ui que delicia ) ele acelera e vem-se junto , ela aos gritos diz ( isso isso , esporra-me a cona para o corno ver , ai que porra boa , anda dá-me essa porra toda , foda-se que bom ) ele sai dela e a esporra começa a sair da cona , ela diz ( olha a minha cona toda esporrada , era isto que querias não era corno do caralho , olha que esporradela ele me deu ), fica uns segundos ali parada com a porra a sair da cona , levanta-se e vai lavar-se .

Depois jantamos e ela repetiu a dose , só que desta vez deu o cu , ele foi embora por volta das 02h da manhã , deitamo-nos e ela diz-me ( então gostaste , olha eu gostei , e a partir de agora vais ter muitos cornos , quero foder com muitas piças ).

Assim foi , desde essa altura até agora já deve ter enfiado mais de 50 , e algumas bem grossas e grandes , adoro vê-la com a cona bem escachada , é um prazer ser corno .

Nenhum comentário: