Comentários no Blog

Procure um conto que você mais se identificou e deixe nele um comentário falando o que quiser e fazendo o seu classificado ou propaganda para conseguir contatos.

Se preferir enviar um conto, remeta para maridodaisabela@gmail.com

sábado, 1 de novembro de 2008

Sacanagem na praia com meu marido vendo tudo

By: casada safada


Posso até falar o nome dele aqui porque provavelmente nunca mais vamos nos ver. Nossos amigos ficavam na praia até perto da uma hora e invariavelmente iam embora pra almoçar. Eu e o Edu ficávamos mais tempo, sozinhos. Desde a primeira vez já tinha percebido a presença do Márcio ali, mas não tinha passado pela minha cabeça a possibilidade de vir a conhece-lo. Naquele horário, próximo a hora do almoço, aquela praia ficava com pouquíssima gente. Certa hora fui até o mar me molhar e quando voltei o Edu estava conversando com o cara. Me deitei pra tomar sol e, uns dez minutos depois, o Edu voltou trazendo seu novo amigo. O Edu nos apresentou e eles sentaram enquanto eu continuava deitada. Fiquei quieta, prestando atenção na conversa deles. Em pouco tempo já sabíamos que ele era de Curitiba, recém separado da mulher e estava junto com o filho de 16 anos, que preferia ficar em Camboriú. Então eu pedi pro Edu passar bronzeador em mim. Acho que o Edu já estava mal intencionado... Passava o bronzeador nas minhas pernas, deixando suas mãos escorregarem para dentro das minhas coxas até tocar com os dedos na minha bocetinha dentro do biquíni. Depois ficou um tempão massageando minha bundinha, enquanto conversava normalmente com seu novo amigo. As vezes o Márcio olhava pra mim e eu retribuía os olhares, sorrindo pra ele eventualmente, mesmo sem participar do papo deles. Antes de irmos embora, ele e o Edu combinaram de voltar no dia seedunte. O Edu pediu pra que ele não se aproximasse enquanto estivéssemos com outros casais e crianças. Com esse pedido ficavam claras as intenções do Edu. No caminho de volta, ele perguntou pra mim o que eu tinha achado do cara. E eu respondi: Achei ele legal... Mas também achei que você queria uma esposinha comportada nas férias... Pelo menos foi o que você falou antes de viajarmos... O que você está pensando???. Ele respondeu: Nada. Deixa rolar.... A noite saímos normalmente com nossos amigos. Depois, no quarto, antes de dormirmos, ele falou no Márcio novamente. Então resolvi provoca-lo. Coloquei minha mão no pau dele e comecei a falar no seu ouvido: Você ta louquinho de vontade de mostrar pra ele que tua mulher é uma putinha, né?. O pau do Edu ficou duro e comecei a bater uma punhetinha pra ele, enquanto continuava falando no ouvido dele: Quer que eu leve ele pro mar e mexa no pau dele também? Acho que não, né? Você prefere que eu faça isso na areia mesmo... Pra você poder ver, né? Você adora ver sua putinha com um pau na mão.... Ele disse: Sua puta... vai me fazer gozar.... E eu falei, ainda no ouvido dele: Isso... Goza na minha mão... Amanhã vai ser a vez do seu amiedunho... Mas tem que ser amanhã já... Adoro conhecer o cara num dia e no outro já estar com o pau dele na minha mão.... Então ele gozou. Depois, mais calmo ele só disse que não era pra forçar nada com o Márcio. Concordei, mas aquela altura já sabia que dificilmente passaria em branco essa nova amizade. Dia seguinte, tudo aconteceu conforme o combinado. Assim que o pessoal foi embora, ele se aproximou. Já pareciam velhos amigos. Só que, dessa vez, quando eu pedi pro Edu passar o bronzeador, ele deu uma desculpa, dizendo que ia até o carro pegar cigarro. E falou pro Márcio: Você se incomoda de passar o bronzeador na minha esposa?. Acho que o Márcio levou um susto, mas concordou na hora. O Edu foi, eu deitei de bruços e ele começou a passar o bronzeador. Achei que ele ficou um pouco tenso, então procurei conversar bastante, tentando ser bem natural. Passou nas minhas costas e foi para minhas pernas. E ali ficou...rsrs. Achei que era minha vez de dar um empurrãozinho. Ainda deitada de bruços, peguei o tubo do bronzeador e pinguei na minha bundinha, um pouco de cada lado. Não falei nada pra ele. Voltei a apoiar minha cabeça em cima dos meus braços e esperei. Logo senti suas mãos na minha bunda... Quando o Edu voltou me olhou e percebeu que eu tava louquinha de tesão. Então, antes que o Márcio se intimidasse com a presença dele, ele simplesmente desamarrou o meu biquíni, desfazendo o laço que o segurava. Puxou meu biquíni de lado, deixando minha bundinha praticamente toda exposta. Aí o Márcio perdeu a vergonha de vez. Massageava minha bunda e eu sentia seus dedos chegarem bem perto da minha bocetinha. As vezes, quando alguém passava perto, o que era raro, ele ajeitava meu biquíni sem amarra-lo. Depois, voltava a afasta-lo conforme passava sua mão deixando minha bundinha de fora. O Edu incentivou ele novamente, dizendo: Se conheço bem minha mulher, ela deve estar bem molhada... Vê lá e me diz.... Então o Márcio desceu sua mão pela minha bundinha e deixou seus dedos escorregarem para o meio das minhas pernas. Senti o toque na minha bocetinha e, mesmo sem enfiar os dedos ele confirmou: Realmente, ela tá muito molhada.... Depois ele enfiou um dedo na minha boceta. O Edu mudou de lugar, se posicionando de uma maneira que pudesse ver tudo. Então eu vi o volume debaixo da sunga dele. Olhei pra trás pra ver o Márcio e ele também não conseguia esconder que estava com o pau duro. Meu tesão era demais vendo os dois daquele jeito e sentindo os dedos de um estranho na minha boceta. Até que o Márcio disse que não agüentava mais e que teria que ir até o mar pra se acalmar. Então amarrei meu biquíni, me levantei e disse pra ele: Vamos.... Fomos pro mar e, com a água acima da cintura, comecei a esfregar minha bunda contra o pau dele. Ele me segurava pela cintura, tentando pressionar minha bundinha o máximo contra o pau dele. Quando o mar acalmava um pouco dava pra sentir bem o pau dele. Levei meu braço pra trás e coloquei minha mão dentro da sunga dele, segurando pela primeira vez o pau dele. Queria sentir ele livre contra minha bunda, então tirei ele pra fora da sunga. Conforme dava, ele esfregava seu pau em mim, segurando minha cintura com força. E eu também pressionava minha bunda contra ele pra sentir o seu pau. E ficamos nessa brincadeira até ele gozar. Na volta o Edu disse que nós demos um show e por sorte não tinha ninguém muito perto. Naquela noite ele foi embora pra passar o ano em Curitiba e, apesar de ter ficado com o telefone dele, tenho certeza que foi só uma brincadeirinha e dificilmente vamos nos encontrar novamente...

Nenhum comentário: