Comentários no Blog

Procure um conto que você mais se identificou e deixe nele um comentário falando o que quiser e fazendo o seu classificado ou propaganda para conseguir contatos.

Se preferir enviar um conto, remeta para maridodaisabela@gmail.com

sábado, 1 de novembro de 2008

FINALMENTE O TELEFONE TOCOU. SOU CORNO!

Tenho 32 anos e minha esposa 26, sem filhos, moramos em Brasília e atualmente estou trabalhando num órgão público onde viajo bastante para outras capitais do Brasil e minha esposa trabalha numa empresa de transportes de valores. De uns tempos para cá minha mulher passou a falar de pessoas que ficam dando em cima dela no serviço, na academia, na rua, etc. Achei que ela estava querendo me provocar ciúmes, talvez estivesse um pouco carente, visto que viajo muito ou querendo me testar se aceito as cantadas que ela diz levar. Confesso que fico enciumado e até certo ponto orgulhoso, visto que ela realmente é muito bonita. Sempre que ela fala sobre isso, fico no maior tesão, não resisto e digo a ela para curtir bastante, enquanto ela está nova e gostosa.

Numa de nossas transas, no calor da excitação, fiquei falando no seu ouvido, enquanto a penetrava, que ela estava muito gostosa e perguntei se tinha muitas pessoas que ela conhece querendo comê-la, se ela já tinha dado para alguns deles, ou se estava interressada em dar para alguém. Ela, extremamente excitada e gemendo, respondeu que tinha muita gente dado em cima dela e que ainda não tinha tido coragem da dar para nenhum deles mais que a vontade era muito grande. Ela me disse ainda que, quando seu carro estava na revisão e teve que ir de ônibus para o serviço, um rapaz ficou encostando a pica dura na sua bunda e ela adorou, chegou ao serviço toda molhadinha e foi direto para o banheiro se masturbar. Quase gozei de tanto tesão que fiquei com aqueles relatos. Ela me falou gemendo e toda dengosa se eu a deixava dar pra outros homens, se eu queria ser corninho, e se podia pelo menos chupar o pau deles. Com a excitação que estava, prestes a gozar, respondi de imediato que podia e que adoraria ser corno mais ela teria que me contar tudo bem detalhado depois.

Num certo dia ela chegou em casa dizendo que na semana seguinte teria que viajar para São Paulo para participar de um curso de administração de frota. Partiria no domingo à noite e só retornaria na quarta-feira pela manhã. Ela passou o domingo arrumando as malas e a tarde inteira no salão de beleza, chegando em casa já na hora de irmos para o aeroporto. Ela estava maravilhosa, cabelos cortados, vestida com uma saia justa que destacava seu corpo, sandálias altas, perfumada e, me pareceu um tanto eufórica e excitada, visto que o curso era pra se preparar para assumir uma chefia na empresa que trabalha. Confesso que fiquei meio preocupado e excitado ao mesmo tempo, visto que ela estava muito fogosa em relação a sexo, principalmente depois das conversas que andávamos tendo quando transávamos. No longo beijo de despedida, lhe falei baixinho para ela se divertir e aproveitar, me ligando todas as noites. Ela respondeu com um ar sensual:

_ Pode deixar, se der tempo vou procurar me divertir!

_ Isso amor, aproveite e me ligue todas as noites. Tchau!

Na segunda-feira à noite ela me ligou, dizendo que estava tudo bem. Perguntei se estava gostando do curso e ela respondeu que sim e teceu altos elogios ao instrutor do curso, inclusive dizendo que o achou muito sensual, um coroa de aproximadamente 40 anos, gentil, simpático, etc. Fiquei enciumado, mas, não sei o que deu em mim, parecia que queria mesmo ser corno e a incentivei, dizendo para ela que era a sua oportunidade e que se rolasse alguma coisa me falasse tudo. Ela disse que estava nua na cama do hotel se masturbando e pensando nele e eu respondi que também estava-me punhetando e que era para ela falar mais sobre o tal instrutor. Ela então disse que ele era lindo, parecia ter um pau grande e grosso, simpático, muito charmoso e o melhor, estava paquerando ela. Quase gozei e, alucinado de tanto tesão, falei para ela aceitar as cantadas dele e na terça-feira, no final do dia, levá-lo para o apartamento do hotel e dar pra ele. Ela perguntou, com uma voz trêmula de gozo, se podia mesmo, se eu queria mesmo ser corninho, se podia dormir com ele e chupar seu pau grosso, e se ele podia esporrar na sua boquinha. Respondi já gozando:

_Sim, fode com ele, deixe-o fazer tudo e me conta depois, detalhe por detalhe.

_ Sim meu corninho, pode deixar que eu te conto tudo. Agora vou desligar, pois estou toda melada de tanto gozar. Amo-te muito, muito, muito mesmo. Um beijo.

Passei quase a noite toda pensando no que poderia acontecer. Imaginar minha jovem esposa transando com um cara mais maduro e experiente me deixava excitadíssimo e ao mesmo tempo enciumado. Do jeito que ela anda fogosa ultimamente e com um homem experiente ela ia gozar como nunca. Pensei em ligar de volta ao hotel e dizer para ela que era fantasia minha e que não era para ela dar pra o cara. Mas o tesão e a curiosidade falou mais alto e larguei o telefone. Só consegui dormir depois de mais uma punheta.

No dia seguinte fiquei pensando no que poderia acontecer. Será que o cara deu de cima dela mesmo? Ela teria mesmo coragem de me trair? Acho que não, aquela conversa foi inventada por ela para me deixar louco de tesão, ela adora fazer isso comigo. E si for verdade? Peguei o telefone pra ligar no seu celular e dizer para ela não fazer nada, mas imediatamente desisti, pois no fundo eu estava louco que ela desse para ele e me contasse tudo numa transa gostosa quando ela retornasse.

Cheguei em casa por volta das 19h e tinha um recado dela na secretária eletrônica: “amor o segundo dia do curso foi ótimo. Saímos toda a turma para um hep hour e retornarei ao hotel por volta das 10h. Assim que chegar te ligo. Um beijo”. Meu coração gelou só de imaginar o que poderia acontecer nesse passeio. O tal instrutor se estava mesmo a fim dela, não iria deixar essa oportunidade passar em branco e do jeito que ela anda tarada não iria resistir. Fique excitadíssimo, corri na locadora, apanhei um filme pornográfico e fiquei assistindo enquanto aguardava ela me ligar. Estava eufórico e tenso, era um misto de tesão, medo, curiosidade e ciúmes ao mesmo tempo.

Por volta de 23h30 o telefone toca. Trêmulo, com a boca seca e de pau duro como rocha, atendi:

_ Alô!

_ Oi querido, tudo bem?

_ Tudo bem, você demorou. Como foi o passeio? O seu instrutor deu mesmo em cima de você?

_ Deu de cima não meu amor, ele está em cima de mim, nesse instante ele está chupando minha buceta molhadinha. Está bom demais. Você não liga não é amor? Você pediu para eu te contar tudo e estou contando, on line. Ai... ai... ui... Nossa... ui... hum...hum...bom, que delícia, ta bom demais, continua vai, mete o dedo na minha bucetinha mete! Alô! Amorzinho você está ouvindo?

_ Estou, mas não acredito que você está dando para ele! Está?

_ Ai amor, eu não agüentei, ele é muito gostosão, ai... ai... ai... nossa to quase gozando, há...há...há...chupa mais chupa gostosão, chupa essa bucetinha que era só do meu maridinho e que agora é corninho, chuuupa, nossa, to gozando, gozannnndo, gozannnndo, ai...ai...ai...ha...ha...ha..., amor você está me aouvindo, fala alguma coisa, fala!

_ Não estou acreditando nisso! Você está se masturbando não é?

_ Amor, você disse que eu podia dar pra ele e estou dando. Vamos meter a noite toda e depois, quando eu chegar ai, te conto tudo como prometi ta bom meu corninho gostozinho? Fala comigo, fala! Ai...ai...ai...ha...ha...ha...fala comigo amor, fala!

_ Prova então que tem alguém ai pois não estou acreditando.

_ Olá, sou eu, Roberto. Sua esposa me disse que você não se importaria da gente experimentar uma aventura e não resisti à beleza de sua mulher. Ela é realmente encantadora. Vou passar o telefone para ela e, por favor, de um incentivo para sua mulher, é só uma aventura. Ela te ama muito.

_ Oi meu corninho gostoso, acredita agora? Diz que não está chateado comigo, diz meu corninho, diz! Eu estou adorando, estou nas nuvens!

_ Não estou chateado, pode fuder a noite toda e amanhã você me conta tudo, te amo. O que vocês estão fazendo agora me conta! Diz pra mim, diz!

_ Acabei de gozar na sua boca e agora estou chupando o seu pau. É bem grosso, gostoso, ta duro e melado. Agora vou desligar, temos muito que fazer. Tchau meu corninho, até amanhã. Vá se masturbar gostoso que eu vou gozar novamente, dessa vez com essa pica melada e gostosa que estou chupando. Tchau, tchau, beijos.

Só acreditei depois que ele falou ao telefone. Fiquei a noite toda assistindo filme pornográfico, me masturbando e pensando no que eles estavam fazendo naquele instante. Ficava visualizando, hora minha esposinha chupando seu pau grosso e duro e ele gozando na sua boquinha, hora ele a penetrando e a beijando na boca, hora ele com dois dedos na sua bucetinha molhadinha e chupando seu peitinho durinho, hora ele esporrando e inundando sua bucetinha. Estava em transe, louco de tesão, de ciúmes, e, por incrível que pareça, feliz de ser corno.

No outro dia fui trabalhar e me preparar para apanhá-la no aeroporto por volta de 11h. Nesse meio tempo, fiquei arquitetando como recebê-la. Decidi que seria com muito carinho, compreensão e apoio pelo que ela fez. Afinal eu a incentivei e no fundo era aquilo que eu queria. Ser corno. Estava excitadíssimo e estava decidido que não iria trabalhar naquela tarde e sim levá-la para casa e ficar transando com ela o resto do dia e noite adentro, ouvindo os detalhes da noitada dela com o instrutor.

Nenhum comentário: