Comentários no Blog

Procure um conto que você mais se identificou e deixe nele um comentário falando o que quiser e fazendo o seu classificado ou propaganda para conseguir contatos.

Se preferir enviar um conto, remeta para maridodaisabela@gmail.com

sábado, 1 de novembro de 2008

Desejo de um corno

Sou casado há 8 anos, tenho agora 32 anos e minha esposa 28. Somos um casal muito bonito. Minha esposa é maravilhosa. Um tesão de mulher. Com 1,72m, 59kgs, lindos seios (embora tamanho médio), uma linda buceta carnuda e uma bunda fantástica. Mesmo após tanto tempo de casado ainda morro de tesão por ela. Mas, sempre tive a fantasia de vê-la transando com dois ou três homens. E, com o passar do tempo, contei-lhe minha tara. A princípio ela achou estranho. Como pode um homem querer ver sua mulher sendo possuída por outros homens? Porém, foi acostumando com a idéia e até mesmo ficando com muito tesão quando, durante o sexo, eu fantasiava e ia relatando o que queria que os outros fizessem com ela. Sua buceta ficava encharcada, os biquinhos de seus seios ficavam durinhos, ela fechava os olhos e também viajava no desejo. Até que um dia a convenci para colocarmos em prática nossas fantasias. A minha exigência era que fossem homens bem dotados, porque eu queria vê-la chupando rolas enormes e queria ver a buceta dela ficar bem arrombada. E tinha que ser homens desconhecidos. Ela aceitou minha condição, mas, impôs outra, os homens teriam que ser bonitos e com corpos malhados. A princípio eu achei injusto, mas, meu desejo era maior que o ciúme. Combinei que faria uma pesquisa na internet e procuraria anúncios de homens que estivessem dentro de nossos padrões. Não foi difícil de encontrar. Após algumas trocas de emails e fotos, selecionamos 3 felizardos que seriam os primeiros a participarem de nossa fantasia real. Eram todos rapazes bem sarados, com corpos bem definidos e principalmente, tinham rolas grandes e grossas. Um dos rapazes, inclusive era negro. Tenho uma chácara no interior de SP, foi onde marcamos de nos encontrar. Chegada a data, eu e minha esposa estávamos ansiosos. Parecia que as horas não passavam. Preparamos tudo, limpamos a piscina, arrumamos o quarto. Deixamos tudo impecável para esse dia. Minha esposa havia levado uns lingeries lindos e um biquíni fio dental maravilho. Por volta das 9:45h chegaram nossos convidados. Eu havia solicitado que eles se encontrassem e viessem juntos, assim, seria mais fácil recebe-los. Minha esposa estava com um shortinho jeans agarradíssimo, dava para ver o contorno de sua buceta carnuda. Ficamos à beira da piscina, conversamos um pouco, mas, a ansiedade era muito grande. Sugeri que entrássemos na piscina e pedi que eles colocassem roupas adequadas. Enquanto eles foram se arrumar, minha esposa tirou o shorts, estando com seu biquíni minúsculo, sua bunda estava toda à mostra. Quando os amigos voltaram, confesso que fiquei constrangido. Afinal, o volume em suas sungas me deixava com vergonha. Infelizmente não sou bem dotado. Tenho um pênis tamanho médio, somente 17cm. Entraram todos na piscina, então, preparei uma caipirinha de vodka. Deram alguns mergulhos, divertiram-se um pouco na água. Chamei todos para perto, inclusive minha esposa. Enquanto tomavam suas bebidas perguntei se ninguém queria dar início às brincadeiras. Nesse momento, eles não perderam tempo, encostaram em minha esposa, que já estava visivelmente excitada, e começaram a alisa-la. Foi aí que falei para terem paciência, era somente para alisar. Hummm, era fantástico ver minha esposa no meio de três homens, sendo apalpada de todos os lados. Ela que não é boba apalpava a todos também. Percebi que ela estava com muita vontade, já estava enfiando a mão por dentro da sunga dos nossos convidados. Todos nós já estávamos com o tesão à flor da pele, então, convidei-os entramos para o quarto. Mandei minha esposa ir à frente e pedi que tomasse uma ducha. Enquanto ela caminhava, ficamos admirando aquela linda bunda. Só para provocar, ela se agachou fazendo de conta que iria pegar algo no chão e, então, mostrou tudo o que aguardava nossos convidados. Que safada... Logo em seguida meus convidados foram rapidamente tomar uma ducha também. Alguns minutos depois, fomos todos para o quarto. Já encontramos minha esposa deitada e vestida com um lindo lingerie preto (era meu predileto). Para minha surpresa, minha esposa sugeriu que eu fosse amarrado sentado numa cadeira, deixando somente uma mão livre. Ela explicou que era para evitar que eu ficasse com ciúme e cancelasse a diversão. E também, não era para eu participar, só tinha direito de me masturbar. Tudo bem, eu concordei. Realmente corria esse risco. Nossos amigos trataram de me amarrar à cadeira conforme combinado. Como são gentis, não acham? Foi aí que eles avisaram minha esposa que, a principio, iriam vendar seus olhos e amarra-la com as mãos para cima. Porque primeiro, eles queriam provoca-la bastante. Foi o que fizeram e, então, começaram a chupa-la. Um chupava seus seios que estavam durinhos, outro lambia sua bunda e outro chupava sua buceta. Ela só gemia, gemia e se contorcia toda. Eu vendo essa cena morria de tesão. Meu pau estava quase explodindo. Controlei meu tesão somente acariciando levemente meu pau, senão, eu sabia que já iria gozar. Depois de chupa-la muito eles a soltaram, desamarraram e tiraram a venda dos olhos. Logo um deles puxou a cabeça de minha esposa de encontro ao seu pau. Nossa, era um exagero perto do meu. Era muito grande e grosso, tinha uma cabeça enorme, parecia um cogumelo gigante. Minha esposa não perdeu tempo. Abocanhou aquela rola com uma tremenda vontade. Parecia que estava morrendo de fome. Os outros continuaram chupando-a. Um tinha se deitado por baixo dela e chupava sua buceta. O outro, lambia sua bunda arrebitada e apalpava seus seios. Eu já não estava mais agüentando de tanto tesão. Foi nesse momento que gozei pela primeira vez. Um deles vendo isso me perguntou: - O corninho está gostando de ver sua esposa chupando minha rola? Tive que ser sincero, respondi que estava adorando... Então, para me deixarem mais feliz os outros dois também trouxeram suas rolas perto do rosto da minha amada e começaram a brincar de revezamento. Coitada, ela nem conseguia parar para respirar, mal tirava uma rola da boca já tinha que engolir outra. Nessa hora ela implorou que enfiassem uma rola na sua buceta. Nossos amigos são muito obedientes. O rapaz que tinha o pau com a cabeça de cogumelo gigante foi rapidinho cumprir seu desejo. Ele foi por trás e abriu bem as pernas dela. Lentamente começou a empurrar a cabeça para dentro. Minha esposa teve que tirar o pau que tinha na boca e deu uma gemida mais alta. Afinal, não estava acostumada com esse tamanho exagerado. Eu ia assistindo aquele cassete enorme e grosso sumindo aos poucos dentro de minha amada. Não resisti, gozei novamente... Minha esposa, que estava com a buceta totalmente encharcada de tesão pediu para o rapaz socar com força. Pra que? O rapaz como sempre obediente começou a socar com força e bem rápido, a coitada só gemia, cada vez mais alto. Certamente deve ter gozado várias vezes naquela rola. Mesmo assim os outros dois não davam trégua, continuavam puxando sua cabeça de encontro ao pau deles. Que maldade... Eles começaram a revezar, cada instante era uma rola diferente dentro da bucetinha dela. Assim sendo, eu pedi para que gozassem em sua boca. Eu queria vê-la mamando aqueles cacetes até jorrarem em seu rosto. Enquanto ela mamava também ia sendo ainda mais arrombada pelos outros. Que maravilha, como é lindo ver minha esposa com uma rola enfiada na boca e outra enterrada na buceta. Parecia uma puta... Não demorou muito o primeiro gozou, era jatos e jatos inundando sua garganta e lambuzando sua face. Veio o segundo, o famoso cabeça de cogumelo, minha amada continuou seu árduo trabalho. O rapaz logo gozou, escorria até pelos seus seios. Ela estava toda lambuzada. O terceiro, que era o negro, preferiu se concentrar na bucetinha, continuou fudendo com força e cada vez mais rápido, parecia que queria fazer entrar até as bolas. Tadinha. O negro era o que tinha o pau maior. Não era tão grosso quanto os outros, mas era muito grande. (Minha esposa confessou-me depois que parecia que a rola do negro ia entrar no seu útero, ela sentia as estocadas da cabeça bem ao fundo – que maldade). Após várias socadas finalmente o rapaz gozou. Ele e ela gemiam e gritavam alto. Não era para menos. Era muito tesão. Ficaram os quatro deitados na cama, com cara de felicidade. Minha amada parecia a mulher mais feliz do mundo. Como é safada... Solicitei que me desamarrassem. Fui atendido, afinal, já tinham acabado a árdua tarefa de arrombarem minha esposa. Fui conferir, pedi à minha amada que ficasse de quatro para eu ver como estava sua bucetinha. Hummmm, coisa linda, estava bem arregaçada. O que eu não tinha feito em 8 anos nossos amigos fizeram em menos de uma hora. Ainda escorria o gozo dela e do negro de dentro de sua buceta. Eu abri os grandes lábios só para ficar admirando o rombo. Que cena magnífica. Após alguns minutos fomos tomar outra ducha, brincamos mais um pouco na piscina e, apesar do desejo de nossos amigos, minha esposa não agüentava repetir a dose. Por volta do meio dia, nossos amigos se foram. Ainda não repetimos a brincadeira, combinamos que faríamos novamente após uns 3 meses. Nesse tempo ela seria somente minha. Assim, sua buceta poderia fechar um pouquinho e ficar pronta para ser novamente arrombada por novos amigos. corninhoesafadinha@bol.com.br

E-mail= corninhoesafadinha@bol.com.br

Nenhum comentário: