Comentários no Blog

Procure um conto que você mais se identificou e deixe nele um comentário falando o que quiser e fazendo o seu classificado ou propaganda para conseguir contatos.

Se preferir enviar um conto, remeta para maridodaisabela@gmail.com

segunda-feira, 1 de dezembro de 2008

Experimentei pegada forte e fiquei vulnerável

Sou casada há cinco anos com meu marido que sempre me deu de tudo ou quase tudo na cama e fora dela. Não tinha do que reclamar, ele sempre foi um homem bom e gentil e carinhoso comigo. Porem, de uns tempos para cá, sempre que transávamos, eu sentia que ficava um pouco insatisfeita, não era pelo sexo dele, nem pelo tamanho de seu pau que era suficiente e até grande um pouco para mim, quase 21 cm e bem grosso, às vezes até deixa minha buceta bem dolorida.

Quando completamos cinco anos de casados, meu marido fez uma surpresa bem legal, ele comprou um filme pornô para aquecer mais nossa transa de aniversário. Assistimos todas as cenas, mas uma em especial me deixou arrepiada, quando um cara transava com duas mulheres e pegava elas com força, batia em seu bumbum com vontade, parecia um bruto, mas elas gostavam. Fiquei molhadona e doida para dar muito. Meu marido percebeu e me pegou com força, mas sentia muito medo de fazer qualquer coisa bruta comigo.

Apesar de ter um corpo bacana, sou morena de cabelos negros e cumpridos. Adoro malhar e sentir que meu corpo ainda esta em forma e saudável. Um dia na academia, uma amiga minha disse que tinha transado com um cara bem forte que malhava em nossa academia e que ele era bem grosso na cama, e que ela nunca tinha experimentado, mas tinha adorado.

Fiquei cheia de tesão e curiosa que até minha amiga percebeu e soltou uma piadinha: Nossa amiga, acho até que você precisa experimentar!. Eu ri, mas depois a cortei e falei que meu marido era muito bom e suficiente para mim. Mas admito que toda vez que esse amigo nosso passava por mim, meu coração disparava e eu ficava quente de tesão. Como não poderia ser diferente, uma hora ele percebeu, mas como sabia que eu era casada, respeitou.

Mas um dia aconteceu uma coisa inesperada, a academia estava vazia e estava muito quente, chovia gostoso. Eu fui no primeiro andar onde ficavam os banheiros e a sauna, que estava desligada e me apoiei na janela para ver o céu que tinha uma lua bonita, quando percebo que esse meu amigo chega por trás de mim, sinto seu pau latejando de duro em minha bunda, ele pega forte em minha cintura, parecia que ia furar minha calça de malhar colada no corpo. Arrepiei toda e soltei um gemidinho reprimido. Falei que não devia ele nem ligou para minhas palavras, me segurava forte e ali mesmo na janela pegou nos meus seios com tanta força que pensei que ia esmagar-los, doeu, mas senti muito tesão. Minha buceta latejava e estava molhadona.

Ele baixou minha calça, parecia que queria me estuprar, mas com meu consentimento. Uma mão segurava meu corpo. A outra manipulava minha calça e de repente sinto seu pau invadinho minha buceta. Que sensação gostosa, o pau dele entrou sem problemas apesar de também ser grande, mas devido minha lubrificação, entrou com tudo. Ele me apertava, me xingava aos ouvidos, parecia uma puta, um animal em suas mãos. Senti que ia gozar, ele tapou minha boca porque já estava gemendo alto e gozei como louca com seu pau. Ainda mole do gozo, vejo ele tirar o pau da minha buceta e começar a forçar meu cu, fiquei arisca, mas como estava sem forças foi em vão, não queria, aquilo não, meu marido só tinha feito uma ou duas vezes, falava sussurrando para não nos ouvirem que não fizesse aquilo, mas ele disse: Quando eu começo, ninguém me pára!.

Ele foi forçando, senti muita dor, mas o tesão foi aumentando e seu pau entrnado, quando percebi já estava atolado em meu cu. Ele bombou com força, sem me largar e começou a mexer em meu grelo, tudo com muita grosseria, que gozamos juntos. Ele encheu meu cu se porra, escorria por minhas pernas e melou minha calça de malhar toda. Ele se vestiu, me vestiu e saiu. Eu ainda fiquei ali por alguns minutos mole sem saber direito o que tinha acontecido.

Naquela noite disse ao meu marido que tava indisposta e casada e que queria dormir cedo, ele não se importou e tive uma noite estranha, me sentindo suja e ao mesmo tempo realizada.

Engraçado, no outro dia esqueci o assunto. E apenas o guardo em minhas lembranças. Nunca mais aconteceu nada, pelo menos até hoje, porque o tal amigo da academia não repete suas transas, mas admito que se ele me pegar novamente, não conseguirei resistir.

By: Moren@

Que Lua de Mel...




Ola Sou empresário na região dos lagos - RJ, e o que vou relatar agora aconteceu na minha curta lua de mel.
Meu nome é Fabio, eu e minha esposa Mara fomos para serra em um breve fim de semana sem nossos filhos. Tenho 41 anos e ela 38, ela é linda loira de olhos verdes e muito quente na cama. Logo que chegamos as 22:00 fomos para o chalé e nos amamos a noite toda. Comi aquela safada de todo jeito menos o cuzinho, pois tenho o pau com 18 cm e bem grosso.
Quando acordamos fomos direto pra cachoeira e tive a grata presença de um casal com seus três filhos tomando banho, logo fizemos amizade e eu me sentei e fiquei conversando com a Marta dentro dagua encantado com sua beleza falamos de amenidades e rimos muito, pois alem de bonita ela é muito alegre.
Quando ela levantou fiquei hipnotizado pela sua bunda que por mais que ela tentasse puxar o biquíni ele insistia em ficar enfiado no seu cuzinho, a vontade que tive foi de agarrar aquela mulher ali mesmo colocar ela de quatro e cair de boca naquele cuzao.
Porem me contive, fique conversando e disfarçando até meu tesão baixar, depois levei minha mulher pro quarto e comi ela gostoso, pedi seu cuzinho e ela ate tentou mais não agüentou. Gozei na sua cara e ela falou que eu estava tarado.
À noite saímos para comer um crepe e encontramos com a família de novo.
Marta estava com uma calça jeans colada tive uma breve ereção e minha mulher achando que era com ela, ficou-me punhetando ate eu gozar na sua mão depois lambeu tudinho.
Fomos para a pousada e ficamos jogando sinuca quando a Marta entrou e começou a jogar com agente, e eu louco pra comer aquela mulher, rasgar sua camisa e me acabar em seus seios. Minha esposa falou que iria pegar uma gelada pra nós, e eu tinha que aproveitar a chance, na hora de dar uma tacada errei a bola e Marta riu, eu disse que não valia que ela estava me sabotando, ela disse: como?
Eu disse: com esse decote e essa calça não tinha como me concentrar, que estava torcendo pra minha mulher voltar entes que eu fizesse uma bobagem, ele riu e disse: que pena bem que iria gostar de uma loucura assim.
Puxei-a pra perto da janela e arranquei sua calça afastei sua calçinha e lambi aquele cuzinho que piscava na minha boca. Mandei-a vigiar a janela e continuei lambendo seu cu e sua buceta cheirosa ate ela gozar na minha boca, levantei e vi seus olhos brilhando, beijei sua boca gostosa e ela se ajoelhou colocou meu pau pra fora e fez um boquete delicioso, quando ia gozar avistei seu marido vindo em nossa direção, falei com ela que imediatamente gritou pela janela pra ele pegar o repelente no chalé, olhei aquela bunda enorme mirei minha pica na sua buceta que pingava de tesão e enfiei de uma só vez, ela gozou na hora, bombei ate encher sua boceta, e falei que ainda queria o cuzinho dela mais tarde, pois o marido dela estava voltando com o repelente. Ela se arrumou me beijou e foi receber seu marido com um beijo na boca que ele ficou surpreso.
Ela falou que não queria mais jogar e chamou o marido para ir para o chalé, cheguei perto dela e perguntei se iria dar a bucetinha apertada cheio de porra pra ele, ela falou: antes vou tomar um banho.
Fiquei louco, doido para entrar naquele quarto e comer ela junto com o marido, colocar ela mamando na minha pica enquanto ele a comia de quatro.
Fui para o bar e encontrei com minha mulher e mais uma vez arrastei ela pro chalé e dessa vez não tive pena lambi seu cizinho ate ele piscar na minha boca, peguei uma manteiga no frigobar untei aquele cu e mandei a pica pra dentro bem devagar ate entrar tudo, depois que ela acostumou começou a rebolar feito doida e teve seu primeiro orgasmo anal gritava feito louca e dizia que estava bom de mais e se tivesse outra pica enfiava na boceta.
Na hora imaginei o Rodrigo, marido de Marta comendo minha mulher também. Mais como faria isto visto que toda vez que víamos um filme perguntava pra ela se tinha coragem de encarar dois homens e ela sempre dizia: NUNCA. Gozei no seu cuzinho e deixei-a deitada na cama, ela falou que ainda estava com muito tesão, falei que iria no carro pegar a câmera pra tirar umas fotos do seu cuzinho, sai e vi Rodrigo sentado em um banco descansando fui falar com ele e perguntei pela Marta ele disse que ela tinha ido a sorveteria com as crianças.
Rodrigo me perguntou se eu tinha cigarro, e na hora me deu um estalo, lembrei da Mara deitada na cama nua e falei que no chalé tinha que a porta estava aberta era so pegar, e sai rápido em direção ao carro peguei a câmera e voltei correndo pra ver o que ia acontecer. Cheguei e fiquei na varanda do chalé que fica bem afastado e em frente a um lago, Rodrigo estava parado em frente à cama olhando o corpo nu de minha mulher, ele começou a alisar seu pau colocou ele pra fora, já estava duro e foi chegando perto da cama, alisou a bunda e minha mulher que meio sonolenta começou a gemer baixinho achando que era eu que rapidamente entrei no quarto mandando ele ficar quieto e calado, ele ainda alisava sua bunda e eu disse: ainda esta com muito tesão?
Ela disse que sim que adorou dar a bunda mais queria dar a boceta que estava piscando.
Mandei ela ficar com os olhos fechado, pois tinha uma surpresa para ela. Vendei seus olhos e falei pra ela ficar de quatro enfiei um dedo em seu cuzinho e disse que ante de comer sua boceta que estava toda babada comeria seu cu mais uma vez. Ela disse que iria adorar, então empurrei Rodrigo que apontou sua pica no cuzinho dela e foi empurrando ela gemia e dizia que seu cuzinho estava arrombado pois não estava sentindo muita dor. Falei que uma vadia feito ela tinha que ter o cu arrombado, e perguntei se estava pronta pra surpresa.
Ela disse que sim, Rodrigo bombava em seu cu, sua bunda estava muito empinada, cheguei na sua frente me agachei e falei em seu ouvido: Beija minha boca e chupa meu caralho que vou foder sua boceta também.
Ela levou um susto tentou tirar a venda e olhar pra trás pra ver quem estava lhe enrabando. Falei pra ela não fazer isso e relaxar e aproveitar, já que ali ninguém nos conhecia e que eu estava fazendo o maior sacrifício vendo ela ser enrabada e sentindo tanto tesão com outra pica. Ela tentou reclamar então enfiei o pau em sua boca segurando sua cabeça e estocando com vontade.
Perguntei se ela queria pica na boceta também e ela disse gemendo muito que sim, então mandei ela pedir, ela falou:
- eu quero.
- o que?
- que você me coma
- pedi direto.
- eu quero que você foda minha boceta junto com esse homem.
Então deitei na cama puxei ela pra cima de min e atolei meu pau na sua boceta, Rodrigo veio por trás e foi empurrando seu pau no seu cuzinho.
Eu nunca vi uma mulher tão excitada e tão louca como a minha ficou, ela gritava, rebolava, gemia, e gozava inúmeras vezes.
Rodrigo falou que não estava agüentando e iria gozar, então ficamos em pé na cama e Mara ficou deitada, mandei ela pedir pra gente gozar em cima dela.
- goza meu amor, gozem em cima de mim.
Gozamos muito, dando um banho de porra naquele corpo branquinho.
Nisso, escutamos a Marta chamando na porta, já comecei a bolar um jeito de ter ela na cama também.
Mandei Rodrigo pro banheiro e minha mulher ficar na cama e não tirar a venda.
Me enrolei na toalha e com o pau meio duro e muito suado, abri a porta o suficiente pra ela ver Mara toda gozada na cama.
- Rodrigo esta por ai?
- O que você acha?
- Acho que eu queria estar no lugar dela.
- E será que você ia agüentar tudo que ela agüentou.
- Paga pra ver.
- Vou dar um jeito de pagar.
- Vou esperar...
- Se ver seu marido, manda ele aqui pra me ajudar a apagar o fogo da minha mulher.
- Engraçadinho, você não teria coragem.
- E você teria coragem?
- Não me provoca. Alem do mais eu não curto mulher.
- Já experimentou? E se seu marido estiver junto?
Em um rápido movimento coloquei minha mão em sua boceta por baixo da saia e vi que estava encharcada. toquei uma siririca rápida nela que começou a gemer, meu pau já estava duro quando minha mulher me chamou. Mandei Marta dar uma volta que iria me encontrar com ela.
Entrei fui direto ao banheiro falar com Rodrigo que já estava vestido e muito nervoso, o acalmei e perguntei se ele tinha gostado, ele falou que foi a melhor experiência que teve, retruquei dizendo que ele não estava no meu lugar vendo minha mulher numa dupla penetração.
Ele disse que não tinha coragem de propor isso a ela, mandei ele ir embora que já me encontrava com ele.
Fui falar com minha mulher que ainda estava vendada, disse que nunca tinha se sentido tão mulher e que eu era o homem de sua vida, perguntou quem era o homem que lhe enrabou, eu disse que se ela se comportasse chamaria ele de novo e desta vez sem venda.
Ela disse que estava esgotada, falei pra ela descansar um pouco que daria uma volta de cavalo.
Sai do quarto e foi atrás do Rodrigo, encontrei ele no bar e fui logo falando.
- Cara que loucura foi a melhor trepada da minha vida.
- Eu também gostei muito, nunca pensei que na hora que entrei naquele quarto iria encontrar ela nua na cama. Pensei em sair mais ela começou a se mexer e vi sua buceta depilada, me deu um tesão, quando dei por mim você já estava no quarto. Foi tudo muito rápido e gostoso, pena que a Marta chegou.
- E você, teria coragem de fazer o mesmo com a Marta?
- Não sei. Não sei se ela aceitaria.
- Porque você não tenta, te garanto que você vai sentir muito tesão em ver ela sendo possuída por outro macho.
- Não sei nem por onde começar, e ainda tem as crianças.
- Deixa que eu dou um jeito
- Perai, isso tudo é vontade de comer minha mulher.
Lembrei da provocação dela ( PAGA PRA VER )
- Também, mais gostaria de retribuir a você o prazer que você me deu e a porta que você abriu para futuras aventuras que com certeza teremos.
- E o que você esta pensando em fazer?
- Leva ela pro quarto, depois eu chego te procurando você sai e me deixa sozinho com ela se eu ver que tenho alguma chance eu caio matando e acendo a luz da varanda, depois você volta e já entra nu. Se eu ver que não vai rola nada eu fico te esperando e nos vamos dar um jeito de pegar a minha mulher de novo.
Sai de lá e foi na recepção procurar a monitora pra distrair as crianças. Falei com ela que iríamos fazer uma cavalgada e que minha esposa estava dormindo e se ela acordasse era pra me esperar com as crianças.
Segui em direção a chalé deles, chegando lá encontro Marta só de roupão saindo do banho, linda, cheirosa.
Perguntei para Rodrigo se não tava a fim de uma cavalgada, ele disse que sim que iria ver se tinha como arrumar os cavalos.
Saiu e me deixou sozinho com aquela mulher maravilhosa.
Fui em sua direção baixai seu roupão e a deitei na cama chupando sua boceta cheirosa, ela gemia e dizia que eu era louco, eu falei.
- Só estou pagando pra ver se você agüenta tudo o que Mara fez.
- Pelo estado dela eu faço idéia do quanto ela gozou e você também, pois tinha muita porra em cima dela.
Dei uma lambida no seu cu e disse enquanto ela gemia.
- Aquela porra toda não era só minha, arrumei um cara pra fazer uma dupla penetração nela e quero ver se você tem essa coragem e esse fogo todo.
Ela gozou muito e falou que não podia tinha as crianças e seu marido.
Levantei coloquei ela de quatro e fiquei pincelando a pica na entrada de sua boceta. Ela gemia e pedia pra eu enfiar tudo.
- Já pensei nas crianças e seu marido vai cavalgar. Você falou que queria estar no lugar da Mara e eu já resolvi tudo, só depende de você.
- Eu faço qualquer coisa mais enfia essa pica em mim agora.
Me afastei, acendi a luz da varanda peguei a fita do roupão e vendei seus olhos, ela tentou reclamar mais disse que fiz o mesmo com Mara.
Deitei na cama e mandei ela cavalgar no meu pau, pra minha surpresa ela virou sua bunda pra mim e sentou segurando meu pau e foi enfiando no seu cuzinho.
Ver aquela cena quase me vez gozar, seu cu ia engolindo todo meu pau, depois ela começou a rebolar e gritar e eu dizia o quanto ela era gostosa, nisso a porta abre e Rodrigo entra com o pau na mão, ficou parado olhando e se punhetando ele sentou na poltrona e ficou por um instante olhando aquela cavala dando com gosto pra outro homem.
De repente ela começa a me perguntar cadê o outro homem, ou era tudo mentira? Nisso Rodrigo se levantou e veio em nossa direção. Segurei seus braços e ele deitou na frente dela e começou a chupar aquela buceta com minha pica toda enfiado no seu cu.
Ela enlouqueceu, perguntou quem era? eu disse que não interessava.
Rodrigo levantou e enfiou toda sua pica na boceta de sua mulher que perguntou:
- Rodrigo é você?
Ele não respondeu e continuou bombando e ela gemendo, gemendo dizendo que ia gozar que nunca sentiu isso antes que ia desmaiar.
- Vou gozar, vou gozar.
Nisso Rodrigo tira a venda de seus olhos e beija ela apaixonadamente. Dizendo
- vou gozar também meu amor.
E gozou enchendo sua boceta e eu acabei gozando muito naquele rabo que mordia meu pau.
Caímos na cama e ela perguntou para o seu marido.
- Se você esta aqui me comendo junto com ele foi você que comeu a mulher dele?
Nós rimos e fomos tomar banho, continuamos trepando com aquela Deusa por mais uma hora. E combinamos uma visita ao rio na casa deles onde vamos tentar transar todos juntos.

Amei conhecer vocês.

E-mail= pino1@ig.com.br

Mais uma fugidinha

Olá. Já fazia tempo que eu não escrevia nada aqui. Não foi por falta do que contar, mas de oportunidade mesmo.

Nos contos anteriores, vocês podem ver e saber como sou. Apenas vou repetir que sou casada, muito paquerada e assediada. Isso me faz um "bem" danado. O que irei contar, aconteceu no mes de julho/2008.
Aproveitando as férias escolares e por coincidência as minhas também, uma amiga minha me convidou para irmos até a cidade onde moram seus familiares. Isso é em outro estado.
Meu marido ficou meio desgostoso, mas acabou me deixando eu ir, já que seria com uma amiga nossa e também casada.

Viajamos numa sexta-feira à tarde, e no mesmo dia chegamos na casa dos pais da Cintia, minha amiga. No sábado ficamos em casa e na parte da tarde, fomos dar uma volta pela cidade e passamos por alguns shoppings. Em um dos shopping, a Cintia encontrou duas amigas e dois amigos dela e é claro, fui apresentada à todos. Fomos na praça de alimentação e conversamos bastante. Esses amigos da Cintia comentaram que naquele mesmo sábado, haveria um baile em um clube da cidade e nos convidaram para irmos também.
Os pais da minha amiga não se opuseram que ela fosse e acabamos indo nesse baile.

O local era bem legal e lá pelas 2 hrs da manhã, já estava totalmente lotado. Estávamos num grupo de 8 pessoas. Num determinado momento, minha amiga comentou comigo que estavam no baile, um ex namorado dela junto com outro amigo dele. Lá pelas tantas, eles passaram na nossa frente e ao ver a Cintia, o ex dela, de nome Guto, parou e ficaram conversando. Seu amigo e eu ficamos meio quietos, mas logo entramos na conversa e acabamos ficando juntos.

Naquelas alturas o Guto tirou a Cintia para dançar e eu fui dançar com o seu amigo Caio.
Isso passou mais de 1 hora e eu percebi que os dois estavam já meio assanhados, talvez relembrando os velhos tempos.

O Caio me abraçava e me segurava bem próximo dele enquanto dançávamos. Num determinado momento, senti que o Caio estava excitado, pois forçava contra minha coxa e as vezes passava pela minha xoxota. Até comecei a ficar excitada, mas fiquei na minha.
Logo vi que minha amiga e o Guto estavam se beijando ardentemente. O Caio se aproveitou da situação e me segurou firmemente e me deu um beijo. Na hora eu me esquivei, mas naquelas alturas me lembrei que eu estava longe de casa e que ninguem me conhecia. Me soltei e retribui, beijando o Caio. A Cintia acabou vendo nossa situação e logo vieram os dois e sugeriram que saíssemos do clube para irmos em outro local.

Naquelas alturas eu conhecendo minha amiga, já imaginei o que viria pela frente.
Chegamos no estacionamento e os dois se atracaram em beijos e amassos, isso fez com que o Caio também me pegasse de jeito. Estávamos nós quatro no estacionamento no maior amasso, mas correndo riscos por causa dos seguranças.

O convite inesperado surgiu do Guto e acatado pela Cintia, para irmos num lugar reservado. Naquelas alturas até eu já estava com vontade e cheia de tesão e o meu amiguinho Caio então.........., já tinha até chupado um seio meu.
Acamos indo os 4 juntos para um motel. Apesar de termos ido em dois carros, acabamos ficando todos no mesmo quarto.

Mal entramos e já fomos agarradas e sendo despidas. Quando já estávamos sem nada mais, ajudei o Caio a tirar suas roupas e a Cintia fez o mesmo com seu ex.
Fiquei impressionada ao ver o tamanho do pênis do Guto. Era grosso e comprido. Acho que quase o dobro do penis do meu marido e também do Caio, seu "amigo".
Antes fomos eu e o Caio tomar um banho e depois foram minha amiga e o Guto.
Quando eles voltaram para o quarto, eu e o Caio já estávamos no maior amasso e logo partimos para um 69. Eu chupava o pau dele e ao mesmo tempo era chupada na minha bucetinha que estava toda raspadinha e também recebia umas linguadas no meu cuzinho. O safado do Caio as vezes colocava um dedo no meu rabinho, coisa que adoro.

Ao lado, minha amiga chupava o pau do Guto, mas ela não conseguia por tudo, apenas a metade. Aquilo me deixou super excitada e com vontade de provar também.
Pedi para o Caio por uma camisinha e já fui subindo sobre ele. Minha bucetinha estava tão molhada que entrou facil, até porque o pau do Caio era normal. Dei umas boas cavalgadas e nisso o Caio gozou, me deixando na mão.
Fui no banheiro me lavar e de lá, escutei um grito abafado da minha amiga. Quando voltei, vi que ela estava de 4 e o Guto quase em pé, tinha atolado quase todo aquele cacetão no ânus da minha amiga. Ela gemia e até soltava uns gritos, mas logo foi se acostumando e depois só gemia de prazer.
Eu vendo aquilo, fiquei excitadíssima. Cheguei perto para ver direito. Nisso minha amiga me perguntou se eu também queria provar o Guto. Eu é claro que respondi positivamente. Aí ela disse. depois vc prova.

Eles treparam gostoso e mudaram de posição, onde acabaram gozando os dois, mas com o Guto comendo a buceta da Cintia.
Depois de mais de meia hora, o Caio já estava me acaricindo, me deixando louca para provar o cacetão do Guto. Sabendo da minha vontade, a cintia pegou o Caio e começou a chupar seu cacete e eu é claro, fui fazer o mesmo no Guto. Nossa....... como era grande e grosso. Minha boca chegava a doer.

Como eu estava louca de desejos para sentir aquela pauzão em mim, me deitei de lado e o Guto ficou atras de mim. Ele colocou uma camisinha, molhou seu cacete com saliva e foi empurrando para dentro da minha buceta. Apesar da lubrificação que eu estava e o desejo, senti um leve desconforto, mas logo passou e deixei que o Guto enfiasse até onde dava. Parecia que minha virgindade estava sendo perdida naquele momento. Com minha mão, quis saber se tinha entrado tudo ou faltava alguma coisa. Percebi que faltava só um pouco, aí resolvei ir de encontro ao cacete e assim recebi tudo, batendo lá no fundo. Até soltei um gritinho, mas já estava adorando.

O Guto começou a por e tirar, me fazendo sentir um prazer enorme. Como eu já estava super excitada, logo tive meu gozo merecido.

Minha amiga acabou gozando também com o Caio, que gozou dentro da sua buceta.
Eu já com uma gozada atingida, continuava a receber as metidas do Guto na minha buceta, que já estava até inchada. Em um determinado momento, senti que o Guto tirou tudo pra fora e estava pincelando meu cuzinho. Ainda bem que eu já tinha dado meu cuzinho muitas vezes, por isso acabei deixando que ele metesse no meu rabinho.
Na mesma posição que estávamos, deitados de lado, eu levantei uma perna para facilitar as investidas do Guto. Ele muito calmamente foi dando suas cutucadas e em seguida senti que a cabeça entrou. Me arrepiei um pouco e até uma slágrimas sairam dos meus olhos, mas aguentei firme. Aos poucos ele foi colocando e eu sentindo meu cuzinho ir se abrindo todo para agasalhar aquele salame italiano. Não passou dois minutos, eu já estava com tudo atolado no meu rabo. Minha nossa........, eu chegava a gritar, porque a sensação era incrivel. Parecia que eu tinha uma garrafa na bunda.

Mas como dizem, quando vc quer, vc aguenta e gosta, isso estava acontecendo comigo. Pedi ao Guto que enfiasse com força na bunda, pois queria aproveitar bastante. O danado atendeu meu pedido e enfiava até onde podia, me fazendo gemer e gritar.
Como eu sentia que assim eu não iria gozar, pedi para ele por na minha buceta novamente.
Ele tirou a camisinha, me deitou de barriga pra cima, levantou minhas pernas, assim fiquei toda arreganhada. Ele estando entre minhas pernas, foi enfiando até por tudo e fazer tocar no fundo da minha buceta, agora bucetão.

Nessa possição, não teve como evitar e após uns 4 minutos levando estocadas leves e bem fortes, gozamos juntos. Naquelas alturas nem me preocupei que não tinha camisinha e minha vagina ficou cheia do gozo do Guto.
Minha amiga e o Caio chegaram à aplaudir nossa transa.
Descansamos um pouco, tomamos um bom banho e devido a hora, voltamos para casa.
O dia já estava quase clariando. Os pais da Cintia perguntaram onde ficamos até aquela hora? a Cintia disse que estávamos numa lanchonete com os amigos e amigas.


By: Cláudia Maria

E-mail= mulhercasada.nova@hotmail.com

A Primeira Vez

Olá, sou casado há 12 anos e tenho 35 anos. Sou moreno claro tenho 1,80 m de altura e 78 kg. Pernas grossas e peludas e peito peludo. Minha gata tem 35 anos e é branca 1,69 m e 58 kg. Tem seios pequenos e bunda grande com as cochas grossas e uma xaninha pequenininha e muito deliciosa. Sempre fui taradão, adoro contos, fotos, Chat e tudo mais que puderem imaginar em relação a sexo.

Minha gata é mais calma, mas sempre tivemos um relacionamento muito bom, em todos os sentidos. Sempre falei pra ela das minhas fantasias e ela sempre entendeu e conversava comigo, mas nunca se animou em realizar a de transarmos com outro homem. Eu sempre voltava neste assunto com ela e indicava alguns nomes de amigos nossos pra ver se ela se interessava por algum.

Até que um dia ela finalmente soltou um comentário De todos os seus amigos o Zé realmente é único que salva, realmente ele é um gatinho Fiquei todo animadinho. Este meu amigo o Zé (nome fictício) era da faculdade e já tínhamos feito alguns rock´s com umas garotas na época da faculdade. Depois de algum tempo eu e minha gata conversando ela falou (meio envergonhada) Será que ele toparia sair conosco Falei pra ela que tinha certeza que sim e acabei contando algumas de nossas aventuras juntos, eu e o Zé. Certo dia encontramos com ele na praia e ficamos conversando, tinha muita gente junto e quando estávamos nos despedindo ela o convidou pra ir até a nossa casa.

Ele disse que estava com pressa e acabou não rolando nada. Algum tempo depois era uma sexta feira e já tínhamos tomados umas cervejas quanto o Zé me ligou perguntando o que estava fazendo. Na hora ela percebeu que era e ligou as anteninhas pra ver o que conversamos. Falei que estava com outros amigos num bar e ele falou que tínhamos que marcar de sair, pois tinha tempo que não nos víamos e terminamos a nossa conversa. Ela veio logo querendo saber o que tínhamos conversado, mas eu mudei de assunto, passado um tempo fomos pra casa. Chegando na garagem do prédio ela falou que não queria subir e que estava com muito tezão e que queria pegar meu telefone pra ligar pra todos os meus amigos e só falaria putaria. Eu fiquei com um tezão maluco.

Ela geralmente é mais quietinha e só se solta depois que já estamos transando quando o tezão já está a 100 k/h. Na mesma hora peguei o telefone e liguei para o Zé. Chamei ele pra vir pra minha casa, pois iríamos os dois passar o ferro na minha mulher. Ele demorou a acreditar ( 2 segundos) e falou que já estava vindo. Subimos e ela ficou sem lugar dentro de casa. Dizia que estava com vergonha e que estava arrependida. Eu disse que agora não tinha mais volta e que ele já estava vindo, quando toca o celular. Era ele dizendo que já estava lá em baixo. Quando ele chegou abri uma cerveja e logo depois ela chegou.

Ficamos conversando assuntos bobos foi quando ela saiu. Eu falei que ele poderia chegar nela e então deixei os dois sozinho na sala. Tem um vidro no corredor que dá pra sala e pude ficar observando os dois sem que eles me vissem. Ele foi chegando perto dela e falando alguma coisa que não pude ouvir e eles começaram a se beijar. Ela sentada e ele em pé, daí ele foi acariciando os seios delas e eles se levantaram e ele a encostou na parede dando uma amasso de primeira na minha gatinha.

Foi quando eu apareci. Ela parou com a brincadeira e falou que iria mudar de roupa e sai deixando eu o Zé na sala. Conversamos um pouco e falei que estava muito excitado e que isso era um desejo meu. Fui até o outro quarto e peguei a maquina fotográfica digital e nos sentamos no sofá. Ela volta e estava um tezão. Com uma saia curta preta, calcinha transparente preta, cinta liga preta, sitiem preto e um blazer preto por cima. Disse que era a minha secretaria de se sentou ente os dois. Caímos em cima dela imediatamente, os dois ao mesmo tempo.

Ela ficou de 4 com os joelhos no sofá e os dois tirando a roupa dela e alisando aquela gata por todo o seu corpo. Ela já estava peladinha e começamos a tirar nossa roupa. O pau do Zé é pequeno e ela caiu de boca imediatamente engolindo ele todo, uma coisa que ela não esta acostumada, pois o meu pau é bem grande e grosso. Eu fiquei olhando ela chupar e comecei a bater as fotos. Neste momento eu me afastei e enquanto eles faziam o show eu era o fotografo. Eles fizeram um 69 com ela por baixo, depois ela ficou de 4 no sofá pra ele a chupar por traz e fazer umas encoxadas, mas sem penetração.

Ela gemia igual uma putinha, Foi quando ela me pediu pra ir pegar a camisinha. O que fiz prontamente. Quando voltei não sei porque, mas já cheguei com a camisinha na mão e segurei o pau do Zé e coloquei a camisinha nele. Ele deu um gemido de aprovação, seu pau pequeno estava latejando na minha mão de tanto tezão. Nesta hora a minha gata estava deitada no sofá com as pernas totalmente abertas pedindo pra que ele metesse logo nela. Dei uma chupada bem melada na sua xaninnha, pra ela ficar bem molhada, o que nem precisava, pois ela estava escorrendo de tezão. Ele meteu aquele pauzinho nela com força. Foi ai que vi a minha gata virar uma puta. Ela gritava feito uma cachorra. Pegava ele pela bunda e puxava pra si, pedindo pra ele meter mais forte. Ele gozou num instante. Ela pediu pra eu pegar outra camisinha, mas as que tínhamos em casa já tinham acabado então falei que iria ao carro buscar mais.

Vesti uma bermuda e desci. Quando voltei do elevador eu já escutei os gritos da minha puta metendo com Zé. Os dois nem esperaram a camisinha. Quando entrei na sala ela estava de 4 levando ferro igual uma puta, urrando e gritando. Quando me viu pegou o meu pau e chupou com uma volúpia de dar inveja, enquanto o Zé dava um capricho na xaninha dela de 4. Ele gozou novamente nas costas dela e ela passou a chupar o pau dele. O pau dele apesar de pequeno não ficava mole um só instante. Ele se deitou no sofá ela começou a chupar todo o seu corpo enquanto ele ficava o olhando e olhando para o seu pau, fazendo sinal com os olhos pra eu chupá-lo. Não pensei duas vezes. Nunca tinha chupado um pau antes, mas cai de boca e chupei aquele pauzinho todo.

Eu e minha gata fizemos ele ir às nuvens. Demos uma chupada nele que acho que nunca mais vai esquecer. Daí ele pediu pra ela sentar na sua vara. Botei outra camisinha nele e ela sentou. Aproveitei pra tirar mais uma seção de foto dela cavalgando na vara do meu amigo. Depois passei a chupar o saco dele enquanto ela sentava no seu pau. Neste instante o vizinho bate na porta e reclama do barulho. Já eram umas 3:00h e a minha gata gritava tanto que o barulho estava indo ao AP ao lado. Eu e o Zé caímos na risada e ela nem notou nada. Logo em seguida ele gozou mais uma vez. Na hora de gozar ele a deitou de costas no sofá e tirou a camisinha gozando tudo na sua barriga. Foi então que ela se deitou de ladinho abrindo aquele bucetão pra mim e pedindo pra eu fazer ela gozar, pois estava morrendo de tezão a ainda não tinha conseguido gozar nenhuma vez, e que ela gostava mesmo era do meu pauzão. Nossa aquilo foi o Maximo. Meti nela com força. O Zé pegou a maquina e começou e tirar fotos nossas. Ela gritou mais alto ainda e tivemos que tapar a sua boca, pois estava parecendo que estávamos matando ela.

Ela gozou na minha vara com uma intensidade que tinha visto poucas vezes. Ela ficou fazendo aquelas contrações na vagina que eu adoro, apertando o meu pau com sus músculos vaginais. Quando começou a gozar procurou o pau do Zé pra ficar segurando enquanto gozava, que por sinal ainda estava duro. Ficamos assim por um bom tempo, eu engatado nela e ela segurando o pau do Zé, enquanto víamos as fotos na máquina. Ela se levantou e foi até o quarto vestir um roupão. Eu e Zé abrimos mais uma cerveja e logo depois nos despedimos. Convidamos ele pra nos visitar outras vezes, pois tínhamos gostado muito de sua visita. Essa foi a nossa primeira vez com outro homem, depois disto o nosso amigo ficou intimo da nossa casa.

Enviado por casal.casado@gmail.com
http://casal-casado.blogspot.com/

domingo, 16 de novembro de 2008

Gozando na minha esposa

Após procurar um anúncio de casais que procuravam homens para relação sexual com ela em algumas revistas, um anúncio em particular na revista Private me chamou a atenção. O casal procurava homens que tivessem farta ejaculação para realizar uma fantasia da esposa. O que mais me chamou a atenção, era que eles procuravam duplas, trios ou grupos de homens para a fantasia. Como sou casado e não tenho tantos amigos confiáveis assim, eu resolvi escrever e pedir detalhes da fantasia. Anexo a minha carta, mandei uma foto e o tel de meu escritório. Achei que nunca teria resposta, pois a proposta era muito tentadora, e com certeza centenas de pessoas iriam escrever para o casal. Passado uma semana, recebi uma ligação na parte da tarde de um homem muito educado que se chamava Paulo, ele dizia ser o marido da Meire, o qual eu havia escrito a carta semana passada. Nem acreditei que eu já havia resposta do anuncio. Paulo me disse que Meire ficou muito encantada com minha aparência, pois ela adora jovens executivos (referente à foto que eu enviei) e que meu perfil se encaixava na fantasia dela. Após um longo tempo no tel, ele me contou que a fantasia dela era transar com parceiros que deveriam gozar dentro dela sem camisinha, disse que todos deveriam ter farta ejaculação para realizar a fantasia e disse que precisaria de meu exame de hiv, uma das exigências para que eu participasse da “festinha” com a mulher dele. Disse também que assim que eu fosse ao encontro deles, eles me mostrariam o exame dela. Marcamos o encontro para a semana seguinte em uma chácara em Cotia, Ele me disse que haveriam mais pessoas que ele selecionou e conversou muito antes de chamá-las. Que eu poderia ficar tranqüilo pois todos eram de ótimo nível social. A semana passou arrastada, na sexta, falei para minha esposa que haveria uma reunião do pessoal do escritório no sábado, perguntei à ela se ela queria ir (boa maneira de não deixar suspeitas) e ela disse que não pois odiava os meus amigos de trabalho. No sábado, cheguei na chácara as 20:00h conforme combinado. Haviam vários carros na entrada da chácara. Deduzi que a festa iria ser boa. Assim que eu cheguei, fui recepcionado por Paulo, que vestia um roupão e chinelos. Me levou até um quarto onde haviam vários roupões e chinelos iguais ao que ele usava, todos novos e na embalagem. Deduzi que ele comprara apenas para esta ocasião. Me deu um roupão e um par de chinelos, e antes dele me pedir, eu lhe mostrei o exame que eu tinha como doador de sangue e ele aceitou.Na mesma sala ele me mostrou o exame da esposa dele, e pude constatar que não havia nada para eu me preocupar. Ele me disse: PREPARE-SE PARA VER UMA CENA IMPRESSIONANTE! Quando eu cheguei no corredor do quarto dele, ouvi uns gemidos muito gostoso característico de uma mulher sendo devidamente fodida. Quando ele abriu a porta do quarto, meu queixo caiu, vi uma linda morena nua, de mais ou menos uns trinta anos, apenas de meia 7/8 branca e sandália de salto alto, de quatro, com os peitos grandes nus e muito bonitos balançando com um cara enorme atrás dela metendo a rola na buceta dela, com um cara na frente dela que dava a rola para ela chupar Enquanto uns sete caras batiam punheta em volta dela, a maioria estava vestidos com o roupão igual ao meu. Ela parou de chupar, olhou para nossa direção e com a cara mais safada do mundo falou: OBA, MAIS UM PRA METER COMIGO! Na hora eu fiquei de pau duro, e como se fosse um impulso involuntário, abri meu roupão e também comecei a bater uma punheta olhando as caras que ela fazia enquanto o rapaz fodia ela com muita força. Ela gritava e gemia com o pau do rapaz na boca. Às vezes ela pedia para ele diminuir os movimentos um pouco, e dava uma gozada muito gostosa no pau do cara. Quando terminava de gozar, pedia pro cara meter com força de novo. Nós fomos revezando nossas posições ao redor dela. Às vezes ela deitava e ficava com as pernas para o alto, às vezes ela se debruçava encima de grandes almofadas deixando aquela bunda enorme para o alto enquanto sempre havia um metendo o pau na buceta ou no cu dela que já estava bem lubrificado de vaselina enquanto às vezes tinha até dois caras dando a rola para ela chupar. Comi ela gostoso na posição do frango assado, tive a honra de ganhar uma gozada gostosa da buceta dela que se contraia em volta do meu pau enquanto ela gritava pro marido dela EU TO GOZANDO DE NOVO AHHHH! , VOCÊ É O MELHOR MARIDO DO MUNDO.... È A OITAVA GOZADA QUE EU TO DAANDOO ...EU TE AMO CARLOS MMMMMMM!!!!! Carlos ficava o tempo todo atento assistindo a tudo batendo punheta, constantemente ele dizia pra gente não gozar ainda, que era para esperar mais um pouco. Quando ela disse que não agüentava mais meter. O Carlos pediu para a gente se afastar um pouco e disse: PESSOAL, É O SEGUINTE, AGORA EU QUERO QUE UM POR UM DE VOCÊS VÁ ATÉ ELA E, DO JEITO QUE ELA ESTA, É PRA METER A ROLA E GOZAR DENTRO DA BUCETA DELA -disse ele- EU VOU FILMAR DA CINTURA DE VOCÊS PRA BAIXO, PODEM FICAR SOSEGADOS QUE A CARA DE NINGUEM VAI APARECER NO VIDEO, QUE ALIAS, É UM FILME PARTICULAR QUE NÃO INTERESSA A MIM QUE NINGUEM VEJA A NÃO SER MINHA ESPOSA E EU, E VOCÊS SE QUISEREM TAMBEM! TA TODO MUNDO DE ACORDO? Vendo aquela delicia de mulher de 4 querendo levar porra na buceta, foi impossível alguém discordar ou desistir. Enquanto ele ajeitava a camera atrás dela exatamente apontada para a buceta da Meire colocou estrategicamente uma toalha bem embaixo da buceta, com certeza para não sujar o lençol, um dos rapazes já havia colocado o pau pra ela ir chupando para prepara-lo para a gozada, quando o Carlos disse: É PRA METER NA BUCETA SÓ QUANDO ESTIVER PRA GOZAR. DÁ UMAS DEZ BOMBADAS E GOZA DENTRO DA BUCETA DELA, AI VAI O OUTRO E ASSIM POR DIANTE, TO COM POUCO FILME PRA FILMAR - disse ele parecendo um diretor de filme pornô -QUEM QUISER, PODE GOZAR NO CU DELA Com Carlos atento na camera, o primeiro cara se ajeitou atrás dela e meteu na buceta, deu umas mexidas e logo começou a gemer cada vez mais alto gozando dentro dela. Ela fazia umas caras de quem estava sentindo e adorando a rola ejacular dentro dela. Quando ele tirou o pau, um filete de porra escorreu e caiu na toalha. Carlos vibrou de alegria -È ISSO AI, ESTA PERFEITO. Logo em seguida, foi a vez daquele cara forte que estava comendo ela quando eu cheguei. Ele se ajeitou atrás dela, só que ele foi comer o cu dela. Ela gemia tão gostoso dando o cu, que uns dois rapazes tiveram que sair do quarto para não gozar antes da hora vendo a cena. O grandão enfiou a rola no cu dela, assim que ele começou a se movimentar dentro dela, ela começou a gritar dizendo que estava uma delicia, Ela virou para ele e disse: ME BEIJA QUE EU VOU GOZAR NO SEU PAU. Assim que ele a beijou de língua ela começou a gemer e a gozar no pau dele. Com a gozada que ela deu, o restante da porra do primeiro cara escorreu toda pra fora da buceta dela melando as coxas e a toalha. Quando o grandão tirou o pau, com ele saiu todo o esperma que havia ejaculado no cu dela. O marido dela só falava - “PERFEITO, PERFEITO”. E um após o outro, cada um teve a sua vez de gozar na buceta dela ou no cu, cada vez mais a cascata de porra escorria pelas pernas dela, ou pingava direto na toalha. Quando foi minha vez de come-la, a cada enfiada que eu dava, meu pau saia branco do esperma dos outros caras que a haviam comido, gozei gostoso na buceta dela também. Notei que cada cara que a comia, quando iam gozar, ela franzia a testa, fechava os olhos e mordia os lábios, curtindo a gozada que levava. Quando todos gozaram, ela se levantou para ir ao banheiro se lavar, no caminho ela foi deixando um rastro de porra que pingava de sua buceta por ela ter se levantado. O marido dela agradeceu a presença de todos e pediu que deixassem o end. para enviar a fita a quem quisesse. È claro que eu quis uma cópia e dei o end. do escritório. Quando tenho saudade, assisto a fita que ele me enviou. Hoje, ainda nos falamos para comentar sobre a “festa’’ e diz que um dia a festa rola de novo. Maridos que tem vontade de ver a esposa dando para outro homem, podem me enviar um e-mail que eu mandarei uma foto minha, e também posso explicar como, aonde e em quem confiar para realizar estas fantasias.

Gozando dentro da minha Esposa

Meu nome é Marcelo e tenho 30 anos, sou moreno alto, 1,85m, 83 kg, olhos e cabelos castanhos. Sou casado com a Fabiana, 29 anos, morena, 1,70m, 59 kg, uma magra falsa. Ela tem uma bunda deliciosa e sempre chama atenção por onde anda. Sempre usando calças jeans apertadas e de calcinha fio dental. Tem uma marquinha de sol que é uma delícia.

Nosso relacionamento sempre foi estável e somos bastante liberais quando o assunto é o sexo. Sempre levamos nossas fantasias para a cama conosco.

Uma fantasia da Fabiana, que percebe que quando ela comenta fica muito excitada, é de transar com outro homem sem camisinha e deixá-lo gozar dentro dela. Isso ficou na minha mente por muito tempo, e por vezes, me deixando excitado.

A partir desse dia, sempre vimos filmes pornográficos onde uma mulher transa com vários homens (gang bang) e ela goza quase na hora quando vê alguma cena de homem transando sem camisinha.

Comentei com a Fabiana que fico excitado com a sua fantasia, e resolvemos colocar em prática. Mas acertamos que teria que ser com um homem de confiança e que se propusesse a fazer todos os exames necessários.

Entrávamos sempre no msn e no bate papo da UOL para procurar este homem sortudo que iria transar com minha esposa.

Depois de vários contatos e conversas pela internet e telefone, escolhemos o Sérgio, de 27 anos, moreno alto e bonito que morava 1hora de nossa cidade para conhecê-lo pessoalmente.

Fomos até a cidade do Sérgio. Ao chegar ao barzinho combinado, nos cumprimentamos e vi pelo olhar da Fabi que era esse o escolhido. Conversamos por várias horas e decidimos que iríamos combinar outro dia, quando o Sérgio estivesse com os exames de saúde pronto para realizar nossa fantasia.

Até a data do encontro, transávamos todos os dias imaginando o dia de colocar em prática nossa fantasia mais louca.

Chegou o dia marcado! Foi em um sábado à tarde. Fomos à casa do Sérgio pegá-lo e fomos direto para o motel. A Fabi estava vestindo um vestidinho preto de blusa decotada e sem sutien, e com uma calcinha preta fio dental que era uma delícia. Já no itinerário do motel, ao tocar na sua bucetinha, vi que já estava molhadinha.

Chegamos ao motel e ela foi logo beijando o Sérgio e tirando a sua roupa deixando o pau dele duro solto e a Fabi já iniciou o sexo oral nele. Fiquei excitado vendo e comecei a me masturbar vendo minha esposa de joelho chupando outro homem...foi demais até aquele momento.

Ela tirou sua roupa também e ficou somente de calcinha. O nosso amigo a levou para cama, tirou sua calcinha e viu pela primeira vez sua bucetinha bem depiladinha e já toda molhada. Ele caiu de boca na buceta dela ao mesmo tempo que ela gemia falando palavras safadas e olhando para mim....outro tesão!!!!

Depois de muito sexo oral, a minha esposa ficou de quatro na cama e pediu para o Sérgio come-la e fazê-la gozar com um pau diferente. O nosso amigo pegava em sua cintura e enfiava gostoso o pau dentro de minha mulher sem camisinha e ela sempre pedindo para gozar dentro da sua buceta. “Goza na minha buceta...quero sentir a porra de outro dentro de mim....e depois quero que meu marido veja a porra escorrendo!”. Essas palavras quase que me fizeram gozar imediatamente.

O nosso amigo, obedecendo a vontade de minha mulher, gozou dentro dela e ficaram por alguns minutos com o pau dele enchendo a buceta da minha mulher de porra.

Ela ficou de pé, veio para minha direção e vi um líquido escorrendo por entre suas pernas, me beijou e falou no meu ouvido: “Vem agora comer a minha buceta toda melada e goze dentro da minha bucetinha também!”. Foi outro tesão, deixando meu pau quase doendo. Meti nela gostoso, toda melada e por causa do tesão, gozei rapidamente na bucetinha da minha puta enchendo ela de porra.

Ao terminar, ela colocou a calcinha ainda toda melada e falou que queria ir embora ainda toda gozada para casa para transarmos mais lembrando da nossa noite. Foi o que fizemos, levamos nosso amigo para sua casa e fomos para a nossa transar a noite inteira!

Espero que tenham gostado....essa noite foi demais e ainda queremos repetir muitas vezes!

Marcelo e Fabiana. marceloefabiana@yahoo.com.br

sábado, 1 de novembro de 2008

Eu tive pena dele, foi por isso!!!!

By: Simone31




Hoje, o que relato aconteceu com Eunice, minha amiga. Bem, essa minha amiga é casada e seu marido é João Carlos, eles são nossos amigos desde o tempo da adolescência. Na verdade, o que relato aqui não é do conhecimento deles.
João Carlos tinha um primo irmão que se chama Edvaldo, desses que se tornam amigo demais da conta e que também, por tabela tornou-se amigos nosso, saímos várias vezes para brincar, ele bastante comedido, calmo, de pouca conversa, mais uma pessoa legal prá carambas. Pois bem, só que ele casou com também uma amiguinha nossa chamada Rosineide, pessoa muito boa e meses depois ele passou num concurso público federal e teve que ir morar em Natal, cerca de 170 km de João Pessoa, onde moramos. Pois bem, isso foi em 1996, portanto, 12 anos atrás. Agora em 2008, no mês de junho, a empresa que ele trabalha estava fazendo uma reciclagem com o seu corpo de funcionários e findou o João Carlos vindo prá João Pessoa participar do treinamento, rever os amigos e como era bem íntimo de João Carlos, foi convidado a ficar na casa dele enquanto o estágio acontecia.
Assim, o Edvaldo ficou por três meses na casa de João. Minha amiga Eunice tem dois garotos adolescente de 14 e 16 anos, dois docinhos de garotos. Vocês se lembram da tentação que foi o meu marido Flávio com relação a Romero? Pois bem, o que tou relatando tem certa relação. O João Carlos como disse era primo de Edvaldo e muito carne/unha, de maneira que um sabia da safadeza do outro. Segundo me contou a Eunice, o Edvaldo chegou à casa dela no dia 03 de junho de 2008, 3ª feira e foi só festa pela chegada do primo e amigo. Eunice me disse que até aí a alegria era de rever o amigo e primo do marido que já fazia mais de cinco anos que não se viam, ele estava o mesmo, continuava sem barriga apesar dos seus quase 40 anos. No dia da chegada, foi muita conversa, estiveram na minha casa e rolou muito papo e combinamos um churrasco para o dia 15 domingo, que era a folga de Flávio, e assim, podia atualizar a fofoca. Quando foi no sábado dia 14, Eunice telefonou e me chamou para ir ao supermercado comprar carne e cerveja para o evento e aí rolou muita conversa. Ela me disse que estava preocupada com a estada do Edvaldo na sua casa, pois ela gostava de está a vontade em casa, quase não usava calcinha (isso eu já sabia) e com ele em casa, tava difícil viver do jeito que queria. Por outro lado, ela me disse que o João Carlos seu marido e primo do Edvaldo estava com uma conversa esquisita, falando que o seu primo tava matando cachorro a grito pois estava sem sexo há mais de dez dias e estava subindo nas paredes e que ela precisava mudar de comportamento pelo menos enquanto ele estivesse por lá. Não falamos mas sobre isso, no dia marcado, aconteceu o churrasco, o Edvaldo esteve lá em casa com o João Carlos e Eunice, foi também o Romero (aquele) com sua mulher Clara, lembram deles??? E foi tudo bom. O Romero ainda deu umas olhadas prá mim e me soltou algumas gracinhas, mas ficou só nisso, mesmo eu tendo tomado algumas latinhas de Skol mas mantive a linha rsrsrsrsrs.
O Edvaldo conversou e lembrou os tempos da adolescência e das presepadas que faziam, mas tudo dentro de uma linha de comportamento muito boa. Quando estava anoitecendo, já todos bem chapados, o Romero tinha ido embora com a Clara e eu estava na cozinha lavando os pratos quando chega a Eunice para ajudar e me confidencia que o Edvaldo estava com um comportamento diferente e que tinha se esfregado nela ao passar um pelo outro, disse que isso devia ter sido pela bebida. Tudo passou e foram embora. O tempo passou e ao término da reciclagem, o Edvaldo foi embora. Agora, no mês de setembro, no feriado do dia sete de setembro, fomos a praia e lá encontramos o Edvaldo com Eunice e aí ela me deixou atualizada de tudo. Enquanto os maridos tomavam suas cervejinhas e falavam de futebol, Eunice me disse que foi recomendada pelo João Carlos a ter cuidado com o Edvaldo, pois ele sempre foi um sujeito respeitador mas não dava mole pras mulheres, era tarado no bom sentido, ela se cuidasse com seus costumes de está em casa bem a vontade. No primeiro momento ela me disse que ficou chateada com essa história, pois não conhecia outro macho a não ser o marido. E assim, ficou certamente curiosa, mas tudo bem. João Carlos voltou a falar com Eunice sobre o primo dizendo que ele certa vez transou com uma colega na frente de todos os amigos, ou seja, no mesmo local, num acampamento, a cerca de dez metro de onde estava o grupo, protegidos apenas por uma moita de mato rsrsrsrsrsr. E o curioso ainda era os detalhes que o João Carlos dava sobre os dotes penianos do primo. Eunice me disse que achava que o João Carlos tentava lhe proteger, mas isso aguçava sua curiosidade. Nessa altura, me abri com ela e contei minha história até então desconhecida dela, falei que esse comportamento se assemelhava ao de Flávio em relação a Romero e detalhei os pormenores e foi aí que o bicho pegou rsrsrsrsrsr.
Ela me disse que o João Carlos chegou em casa certa tarde e o Edvaldo estava só e do banheiro ele ouviu uns sussurros, ficou curioso e temeroso, mas como sabia que ela estava no trabalho, só podia ser o primo se masturbando. Pouco depois que o Edvaldo saiu do Box João entrou lá e passou a fuçar para descobrir a razão dos sussurros, viu no cesto de roupa suja, uma calcinha dela toda melecada e como o único homem estranho em casa era ele e as evidencias dos sussurros, o primo tinha comido por tabela a xoxota da Eunice. Ela deu uma conferida na aprova do crime rsrsrsrsrs e constatou o que lhe contara o marido.
Apartir daí Eunice, segundo ela, passou a ficar com desejo no Edvaldo e sempre atenta aos avisos do marido que ao invés de ter cuidado no Edvaldo, lhe despertava mais e mais o desejo de dá a xoxota a ele, tendo chegado ao ponto de se esconder para vê-lo tomando banho e dá uma conferida no cacete do primo do marido e ficou abismada com o que viu. Eunice, segundo me confidenciou, casou virgem e o primeiro home da sua vida foi o João e nunca outro homem ousou passou a mão na bunda dela e diga-se de passagem, que bunda!!!! Ela me disse que certa vez, isso já fazia uns vinte dias que ele estava na casa dela, ela o viu se masturbando cheirando sua calcinha e isso foi a grande loucura da sua vida, me disse que naquela noite fudeu com o João como se fosse a última vez, estava com tanto tesão que mesmo depois de ter gozado inúmeras vezes no cacete do marido, ainda gozou mais e mais vezes com a xoxota toda enterrada na boca dele, conforme me disse, o João estava maravilhado e desconfiado, chegando a perguntar o que tinha acontecido, tendo-a contado os detalhes.
Edvaldo se mostrou apreensivo, segundo ela, mas tudo lhe pareceu que o João queria que o primo fudesse a xoxota dela, esse foi o seu entendimento. Eunice me disse que o João sempre gostou que ela depilasse a bucetinha e para dá mais tesão ao marido, fazia com todo carinho e funcionava.
Mas a gota dágua mesmo foi quando o João no meio de uma trepada lembrou que enquanto ele fudia a buceta dela, o primo estava ver navios. Então, a Eunice matou a charada na hora e deu mais asa a imaginação do marido e perguntou, já que você sabe tanto do seu primo, como é o gosto dele e foi aí que o João disse, quando a gente saía, ele preferia que a parceira dele estivesse com a xoxota bem depiladinha como está a tua e contou mais que certa vez assistiu uma trepada dele com uma colega e achou bonito ver isso ao vivo e maravilhou-se ao ver o cacetão do primo entrando e saindo BA xoxota da amiguinha.
Não se agüentando de tesão, Eunice perguntou se o cacete do Edvaldo era grande e ele respondeu, dá quase dois do meu rsrsrsrsrsrs.
Nessa altura, contou-me Eunice, ela gozou sem ser nem ao menos tocada e sentiu que o João estava transtornado e de pau duro, e aí feito uma louca subiu em cima do marido e fizeram um 69 assustador, disse-me ter gozado duas vezes e encerraram essa noite com um delicioso e maravilhoso papai-mamãe. O tesão estava tão grande que nem imaginaram que a porta estava entre-aberta e o Edvaldo estava no quarto de hóspede.
No dia seguinte, tudo normal. Vou continuar a seguir o que veio depois. Foi de arrepiar, me senti humilhada diante do que passou minha amigo Eunice, mas isso, todos vocês verão a seguir. Beijos. Simone-maria1975@bol.com.br
E-mail= simone-maria1975@bol.com.br

O Corno

By: expinho


A VIDA NOS LEVA A CADA LUGAR INESPERADO....Eu bom vivam..fazendo divorciado...com muita bucetinha e bundinha pra usufruir....mas de vez em quando .....acontece de conhecer uma mulher ou baladeira compromissada....desta vez..eu esatva aqui em Goiânia....e esperando minha filha enquanto esta fazia algumas compras na Feira da Lua..vejo passar a tipica mulher brasileira...brejeira...corpinho minhon...peitos pequenos e bundão....vestida simples..como se estivesse sem pretenção alguma...mas seu cheiro..era maravinhoso....e isto me deu um tezão enorme...começei a segui-la e na primeira oportunidade puxei pabo e esta me iguinorou....dando somente um olhar de " paisagem "..continuei a canta-la e lhe dei meu cartão e me apresentei..( .sou um coroa ( 42 anos )1.80..88 kg...20x6...) .e com isto ela deixou que me aproximasse e logo estavamos conversando amenidades....e logo de cara perguntei..se tinha compromisso, sendo que a mesma me disse que sim tinha (era noiva ) e estava para se casar no mes de dez/2008...ai lhe disse que iria "me" dar de presente pra ela..e lhe disse que quando quisesse me procurasse...sem compromisso..sem frivolas....sem rodeios, ela encabulada nada respondeu..despedi-me..( prefiro levar 100 foras do que ficar pensando sem atacar ).....passado uns dias...uma certa pessoa me liga se dizendo se chamar Camila...eu prolongo o papo ate que ela me diz que era a menina brejeira de bundão..logo chamo ela pra me encontrar no CAFE BANDEIRA..na RUA 20 do St. Oeste, e ela se prontifica...( pensei lugar público ..durante o dia ela vai se sentir segura..).....dai....após nos cumprimentar..comento que se quisesse sair dali por ser Noiva de Casamento marcado....( pra não ficar falada)....a Camila me diz...que me ligou porque pegou uma mensagem de uma ex-namorada de seu noivo..marcando um encontro...( que ótimo pra mim..né rs.rs..) Ai ela me contou que rodou a baiana..e terminou..o Noivado...ate apartamento tinham comprado..e viajem pra Cancú de lua de mel....putz.....Ai o noivo insistiu procurando-a pedindo perdão..( que tinha sido a despedida de solteiro.) ....ela muito brava com ele lhe disse que também tinha o direito de uma despedida de solteira....e ele relutou muito mas concordou....dai ela ter me ligado...que ja que tinha levantado a lebre...eu teria sido o escolhido...( pra sacanear )...disse que aceitava a incumbencia...se o noivo...estivesse presente..pra humilha-lo e ela já casar com um cara manso...( que o lucro seria dela )..ela se chega mais perto e lhe dou um beijo...e lhe digo pra começar..vá no banheiro e tira a calcinha e me entregue....ela..fica na duvida e obedeçe..dai..após receber a calcinha que ponho no bolso....digo a ela agora liga pra ele ..pra que eu fale com ele...ela nervosa...da um rizinho e pega o celular..e liga pra ele....quando ele atende ela diz...MO...VOU COLOCAR O GILGERTO PRA FALAR COM VC....Olha adorei...ela chamar o cara de MO...ai atendo..e falo.".cara vc é um homem de sorte...vai casar com uma menina maravilhosa...recem formada..rica...""....mas so tem um problema...".se vc não cordar comigo ela disse que termina com vc.".dai vou lhe perguntar..."" vai comigo e ela para um motel agora..?....quietinho..sem reclamar...?...vai fazer tudo que quisermos..?...claro com total descrição...""....acho que ouvi..um muchochucho.reclamação..e uma respiração entre-cortada..( caracteristica de corno )....de tesão....dai devolvi o cel..para Camila...dei-lhe um selinho..e saimos de mãos dadas...eu falei pra ela...vai ate seu noivinho e mostra que sua calcinha ficou comigo..e depois pega no pau dele disfarçadamente e veja se esta meio duro ....se estiver..ele é um corno em potencial...a noite me liga tipo as 20 Hs. quero vc de vestidinho ..tipo pretinho basico..sandalia alta e..sem calcinha....ele...do jeito que vc quiser....as 20 Hs. ela me liga..peço pra me pegarem..na porta do predio.onde moro.e quando chegam...aviso que vou assumir o volante e digo pra o Noivo sentar a traz...ele tende a reclamar..mas uma olhada severa de Camila o faz mudar de ideia....ja lhe dou um beijo e iguinoro o futuro corno.....toco...pro EMOÇÕES...e chegando lá ja pego a suite presidencial...ja peço dois vinhos franceses..e mando vir uma salada mista...digo que vou tomar um banho..pois ainda estou de terno..digo ao futuro corno..pra ele encher a hidro e ligar a cascata... e chamo a Camila pra subir comigo..pra suite superior..ela meio sem graça....por ainda esta sobria..ai lhe digo..pra ficar trnaquila...que iria so ficar com sua companhia...dai começo a lhe dar vinho e após uma taça..aviso que vou tomar banho me despindo a seu lado...ela ( Camila ) vira o rosto envergonhada..( tadinha né )...eu entro pro banheiro tomo um bom banho...e saio embrulhado na toalha..enlaço a Camila e lhe dou um beijo gostoso...e lhe dou mais uma taça de vinho...ela ja com as faces ja coradas da bebida..ja mais solta....e dai..lhe pego pelos cabelos e a faço ajoelhar e manda abrir a boquinha..e coloco a pica meio dura na sua boquinha..e ela ja tesuda começa a pagar um delicioso boquete....quando a pica esta bem dura a levando e desço..quando o corno vê minha pica dura e sua Noivinha ainda vestida parace que teve um troço...dai mando ele tirar o vestidinho de Camila...e ela...ainda tripudia....depois a coloco..no sofa com as penas apertas..e mando o corno cair de boca na xana..com pouquinhos pelos...enquanto isto vou pego a camisinha..e depois de devidamente colocada...bato nas costas do corno e mando ele se afastar..encaixo a pica na porta da xaninha puxo a Camila e ponho ela pra sentar na pica..e chamo o corno pra ver a sua esposinha foder..ela demora um pouco acomodar a pica e começa a foder..chupo seus peitinhos ate machucar..fico mordendo..dai...ela goza..e de imediato BATO NA SUA CARA...e lhe digo ""putinha apanha na cara ""....ela meio sem folego....me abraça..imediatamente a ponho de 4..e começo a lhe foder..ela mais uma vez goza gostoso..gemendo e deixando a camisinha ate esbranquiçada de gozo..que bucetinha apertada..dai tiro a pica e chamo o corno..mando ele abri a bunda dela e cair de boca o cuzinho....Camila geme alto....ficando quase esterica..e mando o corno enfiar dois dedos na buça.....dou a volta no sofa e enfio a pica na boca dela....ela goza hororres...e eu depois de mais de meia hora me segurando....dai mando o corno pegar um cremezinho ..pra passar na camisinha...e quando ele chega..eu falo....passa na minha pica..ele fica na dúvida olha a futura esposinha..e ela ..esta molinha..deitada..no sofa...dai..sou mais firmo ANDA CORNO..e ele obediente começa a espalhar o creme....e sem mandar fica ja batendo uma punheta..demostrando esta gostando..dai levanto a pica e mando ele CHUPAR MEU SACO..e ele ..sem reclamar....começa..a lamber gostoso...chegando ate a passar a linha na entrada do meu cu..( parece que ele entende do assunto ).....ai...mando ele levantar a Camila e tornar a colocar ela de 4...ela reclama que meu pau é maior que o do Corno...e eu lhe digo..." pica por pica onde ja passou um boi passa uma boiada "...ela mansamente arrebita a bundinha e eu mando o CORNO CHUPAR mais um pouquinho aquele cuzinho rozadinho....e coloco a cabeça da pica..resvala um pouquinho mais depois encaixa...dai ela reclama..dou-les uns tapas na bunda e mando o corno entrar por baixo...e dedinha a buça....ela começa a gemer..e rebolar..continuo a bater na bunda de Camila..e quanto mais bato..mais ela grita.." bate filha da puta..acaba com este cuzinho do corno ""....e pega o corno pelos cabelos e da uns tapas na cara dele o xingando de corno manso e filho de uma quenga...ate que ela fala que vai dar uma mixada..e manda ele entrar de baixo dela e receber a CHUVA DE PRATA ..na cara o corno que fica estático..leva outro tapa na cara e obedeçe...entra debaixo dela ..que ainda o xinga de corno..viado..filho da puta...e Camila o segura e mixa gostoso..levando no cuzinho...e esfregando na cara do corno a buça mixada..eu quase ja sem conseguir segurar o gozo tiro a pica do cu dela e manda ela ajoelhar pra ganhar o leite acumulado de vários dias..ela imediatamente me obedeçe mas pega na cara mixada do corno e o traz pra frente da pica e manda ele pagar o boquete...ele obediente começa a chupar gostoso..( melhor que a Camila )...dai ela vai atraz do Corno molha o seu dedo na boca e sem avizar ..faz UM FIO TERRA no corno que geme..demais....mas não para de mamar...dai tiro a pica da boca dele e chamo a agora puta e depravada Camila....que vem beber leite de macho e bebe tudo e depois vira pro corno e fala..a proxima gozada é sua não fica triste não viu....( gozando literamente com a cara do Corno..)...meio cançado vou pra hidro e mando o corno ficar massagendo meus péz....com oleo..( o viagra quase não deixa a pica muchar )...dai ja coloco a Camila pro chupar bem gostoso...( vcs não sabem a sensação deliciosa ganhar um boque e uma massagem nos péz simultaneamente ).....dai quando a pica esta bem dura a Camila tentar sentar...DOU-LHE UM TAPA NA CARA e aviso...com camizinha quenga.....e o corno ja sabendo de sua função vai buscar e ja sem nenhuma frescura ja coloca na minha pica...e a Camila com o rosto vervelho do tapa na cara vem meio chorosa sentar na pica...HA QUE DELICIA...ela toda atoladinha....e o corno olhando..massagenado meus péz...imediatamente..falo..pro corno ..vai pro sofa e..fica lá de 4....e leva o creminho e ja passa no seu rabo..que vou la agora mesmo te descabaçar...ele reclama..diz que minha pica é grande..( dai digo então pica pequena pode..né..)...continuo a foder a Camila..vou no seu ouvindinho e lhe digo...vou colocar vc pra chupar uma bucetinha toda depiladinha,...da proxima vez..que nôs encontrar e dá uma gemida de vadia e goza..gostoso e fica mole...ponho ela de lado....e digo pro corno agora é sua vez de tomar leitinho,,vem cá...e mando ver na boquinha do corno até gozar..ficou triste porque saiu pouca porra.....eu aviso que vou subir pra descançar e...que eles devem ir embora imediatamente que me viro pra ir embora depois.....puz...cancei....foi uma otima noite...o problema..é que o Corno agora quer vir a minha casa mamar..sem a esposinha...e eu ja lhe disse..tem que ser junto..casal..tem que ser unidos...não concordam..?
e ela ja me passou uma mensagem..querendo que eu leve minha namoradinha cachora pra ela chupar sua xaninha...

Adoro esta Goiania..cidade maravilhosa..se tivesse praia aí ia ate estragar..pois...com a praia..com certesa..isto aqui iria virar uma muvuca danada igual no Rio.
E-mail= expinhodepeixe@bol.com.br

Namorada sendo abusada pelo seguranca da faculdade

By: dariomariojr


Ola caros leitores, estou escrevendo meu 2o conto apenas, pois os contos que eu escrevo sao realmente verdadeiros, prefiro nao escrever contos fantasiosos e falsos. Bom, primeiramente vou descrever eu e minha namorada, que somos os personagens principais dos meus contos. Eu sou moreno, alto, tenho o corpo em forma e minha gata tem mais ou menos 1,66m, 60 kg, cabelos castanhos claros ondulados, pele clarinha, rostinho lindo, uma bundinha pequena mas muito gostosa e um par de seios fenomenais, bem grandes, macios e redondos, ela usa sutian tamanho 46. Seus seios realmente são o que mais chamam atenção nela, os homens ficam malucos, principalmente quando ela esta de biquíni. Bom, vamos ao que realmente interessa, eu e minha namorada estudamos na mesma universidade e sempre nos encontramos na hora do intervalo pra dar uns amassos, fazer um lanche ou qualquer outra coisa. A universidade eh bem grande, bastante arborizada, com muitas vagas pra estacionamento, bem propicio pra dar uns amassos bem gostosos nos pontos mais escondidos. Certo dia, nos encontramos e estacionamos lado a lado nossos carros na frente de um dos blocos da universidade, um bloco que não tinha um grande movimento, mas sempre tinha gente passando em frente a ele. Começamos a conversar , nos abraçar, nos beijar e a coisa foi esquentando, já tava com o pau duro pra caramba e ela sentindo ele já se animou também. Era mais ou menos meio dia e meia, hora em que a maioria das aulas parava e todos os alunos iam almoçar nos restaurantes em frente a faculdade. Começamos a olhar pros lados e vimos que o movimento estava mais baixo que o normal, apenas nos olhamos e ambos entendemos as safadas intenções do outro. Entramos no meu carro e continuamos nos amassos, agora eu já apalpando os peitos e a bunda dela e ela metendo a mão na minha rola. Estávamos ainda nos bancos da frente do carro, daí abrimos as portas e passamos pro banco de trás, começamos a dar uns pegas mais violentos e eu já fui tirando a blusa dela e ela abrindo minha calca e metendo a mão por dentro da minha cueca....nesses amassos o carro já comecava a balançar e a ter suas molas maltratadas pelos nossos corpos em ebulição. Chegou uma hora que não agüentei mais e abaixei a calca dela, soh tirei a calcinha dela pro lado, senti com meus dedos a bucetinha dela (que eh bem rosada e carnuda) toda melada e quentinha e comecei a meter gostoso, fazendo um vai e vem devagar no começo, balançando completamente o carro. O problema eh que começaram a passar alguns carros e pessoas na frente e ficamos meio receosos, pois a faculdade eh administrada por religiosos e qualquer desvio de conduta a gente se ferrava. Como o carro da minha gata tinha insulfilme mais escuro que o meu, resolvemos ir pro carro dela, pra ficarmos mais a vontade hehe. Colocamos nossas roupas no lugar e fomos pro carro dela, que tava do lado do meu. Já fomos direto pro banco traseiro e mudamos a posição, coloquei ela deitada, com os pés apoiados na porta do carro e eu fui meio por cima, na diagonal, já tirei minha calca e novamente soh afastei a calcinha molhada dela e comecei a socar forte, agora com muito mais vontade, enquanto colocava meu dedo na boca dela e ela chupava e lambuzava ele todinho e gemia gostoso. Tva tudo muito bom mas a merda do movimento começou a aumentar mais uma vez, era carro e gente passando toda hora pela frente do carro. Resolvemos então ir para uma parte do estacionamento que era mais escura, longe dos prédios da facul, cheia de arvores em volta. Chegamos la e começamos nos amassos de novo, na mesma posição de antes, agora eu socava nela como se estivesse em casa, na cama, sem medo de ninguém nos pegar. Foi soh a gente se empolgar um pouco que avistamos um segurança do estacionamento, mas o cara não viu a gente (a gente achava) e soh demos uma pausa. Continuamos a trepar de forma selvagem, com ela gemendo mais alto e o carro balançando ainda mais, quando ouvimos umas batidinhas na janela do carro. Puta que pariu, que susto, o desgraçado do segurança tinha nos pegado. Minha namorada colocou a calca no lugar mas estava de sutian ainda, eu soh coloquei a calca e falei pro cara que já íamos sair dali e pedi desculpas. Mas o cara tava a fim de nos ferrar, começou a me dar lição de moral, falar que isso não era permitido e que se alguém da diretoria da faculdade ficasse sabendo daquilo a gente provavelmente seria expulso. Nisso o cara fez sinal pra minha gata ir pro banco da frente e eu fui indo também. O cara colocou a mão no meu pescoço e disse: - eu falei pra ela, soh ela ir pro banco da frente, você fica ai atrás. Nessa hora já gelei e vi o que estava por acontecer. O cara entrou no carro, do lado do passageiro, e minha mina estava no banco do motorista. Em seguida ele falou- o negocio eh o seguinte, vou ser bem direto com vocês, se quiserem se livrar dessa a gostosinha aqui vai ter que fazer um favor pro papai, de acordo?? Eu fiquei indignado e já queria pegar o cara na porrada, minha namorada super nervosa ficou com uma cara de desesperada mas percebeu que não tínhamos alternativa, era aquilo ou a expulsao da faculdade. Ela me segurou e pediu pro cara o que ele queria afinal. O filho da puta foi abrindo a calca já, e eu ali atrás vendo tudo, que raiva. Ele já tava de pau duro. Ele era alto, meio magrelo, cabelo lambido, usava aparelho e trajava calca e camisa social, que era o uniforme dos seguranças do estacionamento. O cara falou apenas isso- deixa eu me divertir um pouquinho com vc gostosinha, que a barra de vocês ta limpa. Mal terminou de falar isso e ele já começou a apalpar as tetas da minha gata, que começou a se inclinar pra trás meio que se esquivando dele. Ele apertava com muito tezao, tirando o sutian dela pro lado e dizendo  nossa, que delicia de peitos hein, quero mamar neles porque sei que você gosta neh sua vadia, faz isso ateh na faculdade. Ele começou a tirar o sutian dela, tirou ele inteiro, deixando seus peitoes a mostra e já puxou a mão dela pro pau dele e disse- agora enquanto eu chupo essas delicias você vai me fazendo um carinho aqui embaixo, pode bater uma punheta bem gostosa porque você deve ser muito boa nisso. Nessa hora eu tava com um misto de raiva e tezao, queria matar aquele cara mas ao mesmo tempo meu pau tava duro vendo minha gata sendo abusada por outro homem. O cara chupava com vontade e ela já não colocava mais muita resistência contra ele, apenas ficava com os olhos fechados e punhetava ele com rapidez e maestria. Depois de uns 5 minutos mamando, o cara falou pra ela- Agora, vamos pra ultima parte, porque não posso ficar aqui de bobeira por muito tempo, vem pra ca que você vai me chupar ateh eu gozar. Puta que pariu, não tava acreditando que aquilo tava acontencedo, o canalha pedindo um boquete pra minha namorada na minha frente. Ela se abaixou e começou a chupar o lazarento, descendo aquela boquinha linda ateh a base do pau dele e subindo, deixando o pau do cara cheio de saliva. O cara tava gemendo e se contorcendo de tezao, ficava dizendo que minha namorada nasceu pra fazer aquilo, que tinha boca de chupeteira mesmo. Depois de um tempo o cara começou a gritar alto pra caramba dizendo que ia gozar, tirou a boca dela do pau dele e ficou se punhetando bem rápido, segurando minha mina pelo cabelo, puxou o rostinho dela de novo pra perto do pau dele e começou a gozar, o primeiro jato foi na boca e no queixo dela, os seguintes foram no pescoço e nos seios, que ele fez questão de lambuzar bastante. Já com o serviço feito, o cara se arrumou rapidinho e já saindo do carro falou- a barra de vocês ta limpa, muito obrigado por emprestar essa puta da tua namorada, com certeza ela nasceu pra ser uma bela piranha, da próxima vez eu vou querer comer ela inteirinha, então voltem sempre aqui. Assim terminou essa historia....Espero que tenham gostado do meu conto e se correspondam comigo, tenho algumas fotos não muito ousadas da minha gata, mas que dão uma idéia da delicia que ela eh, espero que me mandem email para que possamos manter um contato. Quando rolar alguma situação excitante conosco de novo escreverei com certeza1!!
E-mail= dariomariojr@yahoo.com.br

Sacanagem na praia com meu marido vendo tudo

By: casada safada


Posso até falar o nome dele aqui porque provavelmente nunca mais vamos nos ver. Nossos amigos ficavam na praia até perto da uma hora e invariavelmente iam embora pra almoçar. Eu e o Edu ficávamos mais tempo, sozinhos. Desde a primeira vez já tinha percebido a presença do Márcio ali, mas não tinha passado pela minha cabeça a possibilidade de vir a conhece-lo. Naquele horário, próximo a hora do almoço, aquela praia ficava com pouquíssima gente. Certa hora fui até o mar me molhar e quando voltei o Edu estava conversando com o cara. Me deitei pra tomar sol e, uns dez minutos depois, o Edu voltou trazendo seu novo amigo. O Edu nos apresentou e eles sentaram enquanto eu continuava deitada. Fiquei quieta, prestando atenção na conversa deles. Em pouco tempo já sabíamos que ele era de Curitiba, recém separado da mulher e estava junto com o filho de 16 anos, que preferia ficar em Camboriú. Então eu pedi pro Edu passar bronzeador em mim. Acho que o Edu já estava mal intencionado... Passava o bronzeador nas minhas pernas, deixando suas mãos escorregarem para dentro das minhas coxas até tocar com os dedos na minha bocetinha dentro do biquíni. Depois ficou um tempão massageando minha bundinha, enquanto conversava normalmente com seu novo amigo. As vezes o Márcio olhava pra mim e eu retribuía os olhares, sorrindo pra ele eventualmente, mesmo sem participar do papo deles. Antes de irmos embora, ele e o Edu combinaram de voltar no dia seedunte. O Edu pediu pra que ele não se aproximasse enquanto estivéssemos com outros casais e crianças. Com esse pedido ficavam claras as intenções do Edu. No caminho de volta, ele perguntou pra mim o que eu tinha achado do cara. E eu respondi: Achei ele legal... Mas também achei que você queria uma esposinha comportada nas férias... Pelo menos foi o que você falou antes de viajarmos... O que você está pensando???. Ele respondeu: Nada. Deixa rolar.... A noite saímos normalmente com nossos amigos. Depois, no quarto, antes de dormirmos, ele falou no Márcio novamente. Então resolvi provoca-lo. Coloquei minha mão no pau dele e comecei a falar no seu ouvido: Você ta louquinho de vontade de mostrar pra ele que tua mulher é uma putinha, né?. O pau do Edu ficou duro e comecei a bater uma punhetinha pra ele, enquanto continuava falando no ouvido dele: Quer que eu leve ele pro mar e mexa no pau dele também? Acho que não, né? Você prefere que eu faça isso na areia mesmo... Pra você poder ver, né? Você adora ver sua putinha com um pau na mão.... Ele disse: Sua puta... vai me fazer gozar.... E eu falei, ainda no ouvido dele: Isso... Goza na minha mão... Amanhã vai ser a vez do seu amiedunho... Mas tem que ser amanhã já... Adoro conhecer o cara num dia e no outro já estar com o pau dele na minha mão.... Então ele gozou. Depois, mais calmo ele só disse que não era pra forçar nada com o Márcio. Concordei, mas aquela altura já sabia que dificilmente passaria em branco essa nova amizade. Dia seguinte, tudo aconteceu conforme o combinado. Assim que o pessoal foi embora, ele se aproximou. Já pareciam velhos amigos. Só que, dessa vez, quando eu pedi pro Edu passar o bronzeador, ele deu uma desculpa, dizendo que ia até o carro pegar cigarro. E falou pro Márcio: Você se incomoda de passar o bronzeador na minha esposa?. Acho que o Márcio levou um susto, mas concordou na hora. O Edu foi, eu deitei de bruços e ele começou a passar o bronzeador. Achei que ele ficou um pouco tenso, então procurei conversar bastante, tentando ser bem natural. Passou nas minhas costas e foi para minhas pernas. E ali ficou...rsrs. Achei que era minha vez de dar um empurrãozinho. Ainda deitada de bruços, peguei o tubo do bronzeador e pinguei na minha bundinha, um pouco de cada lado. Não falei nada pra ele. Voltei a apoiar minha cabeça em cima dos meus braços e esperei. Logo senti suas mãos na minha bunda... Quando o Edu voltou me olhou e percebeu que eu tava louquinha de tesão. Então, antes que o Márcio se intimidasse com a presença dele, ele simplesmente desamarrou o meu biquíni, desfazendo o laço que o segurava. Puxou meu biquíni de lado, deixando minha bundinha praticamente toda exposta. Aí o Márcio perdeu a vergonha de vez. Massageava minha bunda e eu sentia seus dedos chegarem bem perto da minha bocetinha. As vezes, quando alguém passava perto, o que era raro, ele ajeitava meu biquíni sem amarra-lo. Depois, voltava a afasta-lo conforme passava sua mão deixando minha bundinha de fora. O Edu incentivou ele novamente, dizendo: Se conheço bem minha mulher, ela deve estar bem molhada... Vê lá e me diz.... Então o Márcio desceu sua mão pela minha bundinha e deixou seus dedos escorregarem para o meio das minhas pernas. Senti o toque na minha bocetinha e, mesmo sem enfiar os dedos ele confirmou: Realmente, ela tá muito molhada.... Depois ele enfiou um dedo na minha boceta. O Edu mudou de lugar, se posicionando de uma maneira que pudesse ver tudo. Então eu vi o volume debaixo da sunga dele. Olhei pra trás pra ver o Márcio e ele também não conseguia esconder que estava com o pau duro. Meu tesão era demais vendo os dois daquele jeito e sentindo os dedos de um estranho na minha boceta. Até que o Márcio disse que não agüentava mais e que teria que ir até o mar pra se acalmar. Então amarrei meu biquíni, me levantei e disse pra ele: Vamos.... Fomos pro mar e, com a água acima da cintura, comecei a esfregar minha bunda contra o pau dele. Ele me segurava pela cintura, tentando pressionar minha bundinha o máximo contra o pau dele. Quando o mar acalmava um pouco dava pra sentir bem o pau dele. Levei meu braço pra trás e coloquei minha mão dentro da sunga dele, segurando pela primeira vez o pau dele. Queria sentir ele livre contra minha bunda, então tirei ele pra fora da sunga. Conforme dava, ele esfregava seu pau em mim, segurando minha cintura com força. E eu também pressionava minha bunda contra ele pra sentir o seu pau. E ficamos nessa brincadeira até ele gozar. Na volta o Edu disse que nós demos um show e por sorte não tinha ninguém muito perto. Naquela noite ele foi embora pra passar o ano em Curitiba e, apesar de ter ficado com o telefone dele, tenho certeza que foi só uma brincadeirinha e dificilmente vamos nos encontrar novamente...

Comida na estrada

By: homcorno


Olá

Estou de volta para vos contar uma aventura recente , foi no fim de semana passado , fizemos uma remodulação á casa , comprou-se novas mobilias , um delas em Ourém , uma mesa rústica para a cave , o problema era ir buscá-la , pedi a um amigo que tem um forgão se me desenrascava , o problema era que tinha de ser ele a conduzi-lo por causa do seguro que só abrangia carta dele , no sábado de manhã ás 07h ele lá estava á nossa porta , ao contrário do sul do país aqui no norte estava calor , a minha mulher levava um vestido bastante leve , ao subir para o forgão mostrou as coxas todas ao Pedro que ficou de olhos pregados nelas , arrancamos .

Ela ía no lugar do meio entre o Pedro e eu , a saia do vestido tinha ficado um pouco subida deixando boa parte da coxa visivel , reparei que ele várias vezes ao mudar as velocidades lhe roçava a perna , algumas dessas vezes chegava a acariciar ao de leve , comecei a notar por parte dela um certo mexer , estava a ficar excitada , paramos na área de serviço da Mealhada para tomar café , enquanto ela vai á casa de banho o Pedro diz-me que ela estava cada vez melhor , que o tempo a ela só favorecia , ela regressa a vamos para o forgão , novamente ao subir ela mostra tudo , senta-se e a saia fica ainda mais subida , tinha as coxas todas á mostra , durante o resto do trajecto até Ourem ele continuou a roçar-lhe a perna , quando chegamos o armazem estava fechado , liguei ao fulano que me diz que só depois das 14h estava lá , eram 10h , o armazem ficava no meio de um descampado , mais á frente havia um pinhal , o Pedro encosta o furgão dentro do pinhal , saímos e demos uma volta a pé pelo pinhal , estava um pouco de vento que fazia a saia do vestido levantar , andamos uns 15m por ali , quando regressavamos ao forgão ela adiantou-se um pouco a nós , sempre que vinha mais vento a saia subia deixando as coxas e algumas vezes a cueca visivel , o Pedro sabia que ela dava umas cambalhotas com outros , a certa altura pára e diz-me ( é pá desculpa lá o que vou dizer mas adorava comer a Alice , achas que tenho hipotese )eu respondo que sim , que tentasse , ele pergunta-me s e podia tentar já , dei-lhe toda a permissão , ele agradece e acelera o passo , mal fica ao lado dela passa a mão pelo cu , ela dá um salto , tinha sido apanhada de surpresa , olha para ele , sorri e diz ( que foi isso , uma mulher já não pode andar sossegada num pinhal sem ser apalpada ), ele sem mais rodeios diz-lhe ( quero comer-te ) ela olha para mim , sorri e diz ( ai queres , então come ) ele abraça-a por trás , aperta-a contra ele , com uma mão apalpa-lhe as mamas , ela roça o cu contra o pau , leva-a até um pinheiro , ela encosta as mãos no pinheiro , ele levanta-lhe o vestido desaperta a carcela , põe a piça de fora , afasta-lhe a cueca e pincela-lhe a cona com a piça , ela abana a anca ligeiramente , dobra-se um pouco , ele encosta a cabeça da piça e enterra-lha na cona , dá um gritinho e diz ( come-me , anda mete essa piça toda , fode-me ) ele começa com um vai e vem lento , agarra-lhe na anca e vai aumentando as estocadelas , ela começa a gemer , ele olha para mim e diz ( porra pá que cona boa , é boa como o milho ) , nessa altura ouve-se um carro perto , ele desencava-a , ela endireita-se , arranja o vestido , o carro pára a uns metros de nós , sai um casal e duas crianças , nós vamos para o furgão , ela parecia mais desiludida que ele , ele põe o forgão a trabalhar e sai do pinhal , vai em direcção ao armazem , estaciona atrás do mesmo , estavamos escondidos , ele diz para irmos para a parte de trás , saímos da frente e vamos para a trazeira , ele põe no chão do forgão uns cobertores , abraça-a e tira-lhe o vestido , tira-lhe o soutien e as cuecas , despe-se tambem , volta a abraçá-la , chupa-lhe as mamas ela agarra-lhe a piça , põe-se de joelhos e chupa-o , mal o começa a chupar ele diz ( foda-se , chupas tão bem , isso mama , foda-se que bom ) , ela mama-o uns 3 ou 4 minutos , põe-se de 4 , ele de joelhos atrás dela , passa a piça na cona e com uma estocada forte , enfia-lha , ela dá um gritinho e manda o cu contra ele , ele agarra-lhe a anca e fode-a forte , ela geme , ele olha para mim e diz ( é mesmo boa , que cona deliciosa ),ela diz ( anda fode-me , dá-me essa piça toda , fode-me ) ela começa a estreemcer e vem-se aos gritos , eu espreito para fora a ver se alguêm podia ouvir , não havia ninguêm , ele dá uns gemidos tambem e esporra-se dentro dela , quando sai dela a esporra cai no cobertor , ela levanta-se , ele dá-lhe lenços para ela se limpar , limpa-se o melhor que consegue , veste-se , eram quase 12h30m , vamos a um restaurante que tinhamos visto no caminho para ali , no restaurante ela vai á casa de banho .

Depois de almoçar voltamos ao armazem , esperamos um pouco e lá chegou o fulano , carregamos a mesa e as cadeiras e iniciamos o regresso .

Como na vinda ela ía no meio de nós , só que agora ele não se limitava a roçar a perna , apalpava-lha , e de vez em quando ela apalpava-lhe a piça , ele fica com ela dura , na saída de Pombal ele sai da auto-estrada , andamos um pouco na estrada nacional e ele mete por uma secundária , anda mais um pouco e entra num caminho de terra batida , uns 200 ou 300 metros á frente havia um armazem pequeno ele entra no recinto , não havia carros nem pessoas , ele diz que era um cliente dele e que ao sábado ninguêm ía ali , pára o forgão , começa a apalpá-la , sai do forgão e diz-lhe para ela ir com ele , eu saio tambem , leva-a para trás do armazem , havia um barraco onde estava um motor de tirar água , entra nele , levanta-lhe o vestido , tira-lhe a cueca , encosta-a á parede , puxa-lhe a anca para trás , põe a piça fora das calças e numa só estocada enterra-a toda nela , fode-a com força , ela geme sem parar , em poucos minutos uns 2 ou 3 vem-se , ele martela-a com força , ela delira , aos gritos diz-lhe para ele a foder , ela escorrega e cai no chão , ele aproveita e diz-lhe para se por de 4 , ela põe , ele põe-se de joelhos atrás dela e volta a fodê-la , passado um pouco tira da cona e aponta ao cu , ela diz que ali não , que depois em casa lho dava , ele volta a meter na cona , dá mais umas marteladas e esporra-se , sai dela , ela limpa-se e voltamos áo forgão , voltyamos á auto-estarda , eram umas 18h quando chegamos a casa , descarregamos e ela cumpre com o que lhe tinha prometido , dá-lhe o cu , ele fode-lho uma meia -hora , quando se esporra sai dela e como-lho eu a seguir .

E-mail= homcorno@hotmail.com

Corno do massagista

By: alberto campos


Olá

É como diz o título fui corno do massagista , mas vamos aos promenores , sou casado com a Teresa de 35 anos eu tenho 40 , em Agosto ela deu um jeito nas costas a fazer as limpezas em casa , fez vários tratamentos e em Setembro começou com massagens , até aqui tudo normal , á duas semanas atrás num dia quando a fui buscar á massagem ela vem com uma cara de poucos amigos , perguntei-lhe o que se passava , ela visivelmente enervada diz-me que a massagista dela a Maria estava de férias e que no lugar dela tinha ficado um homem , eu achei isso normal e digo-lhe que havia muitos homens massagistas , que era normal , ela diz que sabia disso , mas que o fulano tinha sido um bocado atrevido , perguntei-lhe atrevido como , ela diz que o fulano tinha metido a mão por debaixo da toalha e massajado as nadegas, eu ri-me , ela ficou ainda mais brava , diz-me que enquanto a Maria não voltasse que não fazia mais massagens , aquilo passou .

No dia que devia voltar a fazer a massagem de manhã eu pergunto-lhe como era se ela ía ou não , ela diz-me que iá a ver se a Maria já tinha voltado se já que fazia se não que não , eu digo-lhe que era melhor fazer que ela andava melhor e que se parasse que podia piorar , ela então diz-me que só ía se eu fosse com ela , aceitei .

Á hora marcada lá fui ter com ela , entramos no gabinete , ela despe-se e deita-se na marquesa , passado um pouco entra o fulano , um jovem com uns 23 ou 24 anos , bem encorpado , começa a massagem , correu tudo normalmente .

Na sessão seguinte eu não podia ir com ela , ela diz que então não ía , lá conversamos e a solução foi mudar a hora para eu poder ir tambem , ligamos para lá e lá se arranjou uma hora a que eu podesse , ás 19h30m lá estavamos , enquanto esperavamos fomos conversando , eu no gozo disse-lhe que o fulano até era jeitoso que se eu fosse mulher até nem me importava nada de ser massajada por ele , ela desconversa , entramos no gabinete , despe-se deita-se , e faz o normal , o fulano uma vez ou outra repete a cena de lhe massajar as nadegas , e reparo que quando o fez de uma das vezes meteu um dedo no rego e deixou-o lá uns segundos , aquilo em vez de me deixar chateado ou ciumento deixou-me excitado , fiz de conta que nada tinha visto .

Já no carro ela pergunta-me se eu tinha visto o fulano a massajar as nadegas , digo-lhe que não , ela diz-me que o tinha feito e que alem das nadegas que lhe tinha posto o dedo no cu , eu a sorrir digo-lhe que tambem com um cu tão bom como o dela que era natural que um homem quisesse tocar-lhe , ela irritada diz-me que até parecia que eu estava a gostar que outro homem a tocasse , ao ouvir aquilo dou conta que até era verdade , bem a conversa ficou por ali .

À noite já na cama enquanto nos acariciava-mos eu pergunto-lhe se ela não tinha gostado de ser tocada pelo fulano , ela um pouco atrapalhada diz-me que não , notei naquele não uma certa insegurança , volto á carga , faço-lhe mais umas perguntas , ela cada vez vacilava mais nas respostas , continuamos nas caricias e fodemos , quando estava a fodê-la pergunto-lhe se ela não gostava de foder com outro , com o massagista por exemplo , ela responde que não que eu estava louco , se pensava que ela era o quê , continuei a fodê-la , quando ela estava bem perto do orgasmo e a gemer eu digo-lhe que afinal tinha visto o fulano a mexer-lhe e que tinha ficado excitado , ela quase aos gritos insulta-me , diz-me que raio de homem era eu que ficava excitado ao ver outro a mexer na mulher dele , eu sem saber muito bem como o fazer tento explicar-lhe o melhor que sabia , bem a resposta dela foi virar-se e dormir sem s equer me d ar um beijo de boas noites .

Andou dois dias quase sem me falar , ao terceiro dia ao jantar ela olha-me com uma cara muito séria e diz-me ( olha lá aquilo que disseste de teres ficado excitado é verdade ) eu respondo que sim , ela fica uns segundos calada a olhar para mim , então diz-me ( como é possivel isso , como é que tu podes sentir tesão por ver outro a tocar-me , só falta dizeres que queres que eu me deite com outro ) eu que podia responder , respondo-lhe que por acaso até gostava , ela levanta-se da mesa olha para mim e diz ( parece impossível , tu queres que eu me deite com outro , queres que outro me possua , eu não a credito no que ouço ) sai da cozinha e vai para o quarto , vou ter com ela , peço-lhe desculpa , ela vira-me a cara , diz-me para a deixar sózinha .

Eu vou para a sala ver televisão , passada mais de uma hora ela vem ter comigo , senta-se e diz ( ouve lá tu queres mesmo que eu me deite com outro ) eu respondo que sim e dou-lhe algumas explicações que e la rebate , bem ficamos naquilo até ás 02h da manhã .

No dia seguinte de manhã durante o pequeno almoço ela diz-me ,( olha o fulano da primeira vez disse-me se eu queria tambem que ele me massajasse á frente , claro que lhe disse que não , mas hoje vou-lhe dizer que sim a ver o que tu achas de o ver a mexer-me nas mamas e na cona ) eu digo-lhe que de certeza que ía ficar ainda mais excitado , ela diz-me ( és um porco , um tarado , mas se é isso que queres tudo bem , mas depois não venhas com acusações ou outras coisas ) .

Nesse dia á noite na cama enquanto a acariciava digo-lhe para ela pensar que era o fulano , ela nada respondeu , fodemos e quando acabamos ela diz-me , amanhã vou deixar o fulano fazer o que quizer pode ser que assim percas a mania .

Andei o dia todo a pensar naquilo , quando chegou a hora fui ter com ela , mal cheguei junto dela ela diz-me ( tens a certeza que queres , vê lá ) eu respondo que sim , entramos no gabinete , como sempre despe-se e deita-se , o fulano começa a massagem , quando mete a mão debaixo da toalha e massaja as nadegas ela levanta-as um pouco , o fulano como era evidente apercebe-se, insiste na massagem nas nadegas , ela abre as pernas ligeiramente , o fulano mete dedos no rego , e fica assim uns 2 ou 3 minutos , a respiração dela acelera , via-se na cara dela que ela estava a gostar , aos poucos ela vai abrindo as pernas , o fulano passava já a mão toda no rego , olha para mim umas 3 ou 4 vezes , como não tenho reacção nenhuma ele aventura-se mais um pouco desce-lhe a toalha e deixa as nadegas a descoberto , passava a mão no rego até baixo , mais uns minutos naquilo e diz-lhe se ela queria ser massajada pela frente , ela olha para mim eu aceno com a cabeça em sinal positivo , ela diz-lhe que sim , vira-se , ele começa a massajar a barriga vai subindo e massaja as mamas , massaja-lhas uns minutos largos , volta a descer e vai sempre descendo até á cona , quando lá chega olha para mim , eu sorrio-lhe , ele mete a mão toda sobre a cona e massaja-lha , ela começa a mexer com a anca , ele vai ás coxas sobe e toca-lhe na cona desce e volta a subir , faz isto umas 10 vezes , volta a deixar a mão na cona dobra dois dedos e enfia-lhos na cona , ela dá um suspiro e um gemido , mexe os dedos dentro da cona dela , com a outra mão massaja as mamas , encosta a piça ao braço dela e roça-lho ligeiramente , nessa altura ela olha para mim , eu novamente aceno positivamente , ela fica uns segundos a olhar-me e leva a mão dela á piça dele , aperta-lha , ele afasta-se um pouco e abre as calças que caiem no chão , nessa altura eu assusto-me , o fulano mandava um piçalhão enorme e muito grosso , ela fica a olhar para aquilo , agarra-lho , massaja-lho , ele já tinha 4 dedos enfiados na cona dela , ele afasta-se um pouco puxa-lhe as pernas até ficar com o cu na ponta da marquesa , mete-se no meio das pernas dela e começa a massajar a cona com a piça , ela gemia sem parar , ele abre-lhe as beiças e começa a penetrá-la , ela dá um grito , olha para mim e diz ( ai que grosso ) dá novo grito , ele pouco a pouco enterra-se todo nela , começa um vai e vem lento , ela geme sem parar , não demora muito a vir-se aos gritos , o fulano acelera , ela grita cada vez mais , vem-se a segunda vez , o fulano diz ques e vinha tambem , ela a gritar diz-lhe para se vir dentro dela , ele assim faz , ela delira , ele sai dela , fico a ver a cona toda escachada a pingar esporra .

O fulano agradece veste-se e sai , ela lava-se veste-se e saímos tambem , já no carro ela beija-me e diz ( obrigada , adorei , espero que tambem tenhas adorado ) eu respondo que sem a minima duvida .

já fez mais 3 sessões e todas elas com direito a serviço completo , e já disse que depois de ficar bem das costas que vai continuar com as massagens.
E-mail= albertocampos36@hotmail.com

Feriado prolongado que maravilha!!!!!!

By: casada recatada


Olá, colegas leitores! Conforme prometido, aqui estou novamente para contar mais uma das minhas audácias sexuais e dizer que consegui torna o Edu meu mais novo amante fixo. Meu nome é Mariana e sou casada com Paulo, um homem maravilhoso. Depois de realizarmos algumas aventuras (realizando o desejo do meu marido de se torna corno), o convenci para deixar o Edu ser meu amante fixo, para não ficar saindo com pessoas estranhas e curtimos um prazer total, para entender vejam contos anteriores. Agora estamos sempre juntos passeando e nos divertindo quando possível. Sempre que podemos Eu e o Edu trocamos olhares maldosos e de puro desejo, e tivemos uma oportunidade de fazer amor na minha própria casa, enquanto meu marido viajava a trabalho. Agora vamos às novidades!!! Depois daquela foda deliciosa, falamos muitas sacanagens um pro outro, o que prometia uma próxima vez ainda melhor!! E a oportunidade foi mais rápido do que esperávamos. Eu e o Paulo temos um amigo que tem casa na praia e haveria um feriado municipal, que seria numa quinta-feira. Não havíamos combinado nada, pois eu não trabalharia na sexta-feira, mas a princípio, Paulo teria que trabalhar. Como ele tinha uma folga pra tirar, aproveitou e tirou para o mesmo dia, nos possibilitando de curtir o nosso feriadão. Na segunda-feira, ele me ligou do trabalho dizendo que conseguira a folga e perguntando o que eu achava de convidarmos Edu para viajar. Achei a idéia maravilhosa e já comecei a imaginar como seria e o que poderia rolar naquele final de semana prolongado. À noite, quando chegamos em casa, ligamos para o Edu para convidá-lo. Ele, com certeza pensando o mesmo que eu, aceitou sem muitos argumentos. Tudo combinado: sairíamos de casa na quarta-feira à noite e voltaríamos no domingo. Preparei-me física e psicologicamente para aquele feriado, comprei até uns biquínis novos e roupas sensuais, pois sabia que prometia muita sacanagem! Na quarta-feira pela manhã, Edu me ligou no trabalho, falando muita sacanagem, me deixando molhadinha em pleno horário de expediente. Disse para eu me preparar, que ele iria me enlouquecer de tanto prazer, que não mediria esforços para aproveitar comigo a nossa viagem, que iria fuder muito de novo... Nossa!!! Fiquei louca só de ouvir e imaginar! No horário combinado, fomos buscá-lo. Todos vestiam roupas bem leves e confortáveis e estávamos muito à vontade, como todas as vezes que saímos juntos. Fizemos uma viagem tranqüila, mas o trânsito estava um caos. Chegamos na praia bem tarde da noite e cheios de sono. A casa do nosso amigo é bem grande, no andar de baixo, sala, cozinha, banheiro e um ótimo espaço externo, no andar de cima, dois quartos, uma suíte e banheiro. Foi só o tempo de arrumarmos as camas, e cairmos para dormir, estávamos muitos cansados, mesmo querendo aproveitar o meu amante novo, sabia que poderia esperar para o próximo dia. Na quinta-feira, acordei cedinho, coloquei meu biquíni, com uma saída de praia por cima, dei uma geral na casa e comecei a preparar o café da manhã. Tomamos um ótimo café da manhã e os meus dois homens descansados da viagem me elogiaram por isso. Passamos o resto do dia na praia e sempre que possível e sem deixar que os outros percebessem, dávamos (eu e o Edu) um mergulho juntos, ou ficávamos a sós na areia, só falando sacanagens. Voltamos para casa já no finalzinho da tarde e todos tomamos uma boa ducha no chuveiro que tinha no quintal. Eu me exibia pros meus machos a vontade. Eles também passavam o dia de sunga pra lá e pra cá. Depois dessa ducha, nos secamos ao ar livre e entramos para tomar um banho de verdade. Enquanto Paulo foi para o banho, fui para o quarto pegar as roupas pra mim e Paulo e foi aí que a sacanagem começou. O Edu entrou no quarto e fizemos amor loucamente. Edu me pegou por trás, e ficou esfregando aquela rola já dura na minha bunda. Arrancou meu biquíni e caiu de boca na minha bucetinha. Fiz o mesmo com ele e pedi para que me penetrasse. Foi maravilhoso! Amo meu marido por deixar eu ter um amante. Gozei muito gostoso enquanto meu marido estava no banho. Depois fomos tomar banho os dois juntos, Edu me lavava e admirava meu corpo, eu louca me abaixei e fiz ele gozar na minha boca. Depois nos juntamos ao meu marido e fomos para o quintal e começamos a jogar carta. De vez em quando, Edu esfregava suas pernas nas minhas por baixo da mesa, e só aquilo já me arrepiava toda. Naquela noite, ainda quinta-feira, não estávamos muito animados para sair e resolvemos continuar o nosso carteado até dar sono. Fazíamos uns intervalos para comer e beber algo e assim ficamos até cansar. Paulo já estava cochilando no sofá e como ele sabia que eu seria só do Edu aquele fds (antes de sairmos para a viajem coloquei as regras, que ele dormiria no quarto de hospedes e se eu deixasse ele poderia me comer também, mas a principio seria só o Edu), Paulo levantou-se ainda meio zonzo de sono e de cerveja e foi para o seu quarto. Pronto!!!! Agora sim o feriado prolongado iria começar de verdade. Eu e Edu começamos a nos acariciar e nossos sexos já davam sinal de vida. Ele usava apenas uma bermuda, sem cueca. Eu, uma blusinha sem sutiã, um short e uma minúscula calcinha. Nos beijamos deliciosamente quase que deitados no sofá da sala e nossos gemidos eram abafados pelo som ligado. Ele levantou minha blusa e chupou meus peitinhos, enquanto eu abria sua bermuda para punhetar aquele cacetão, que já estava quase pulando pra fora dela. Chupei seu pau até ele gozar gostoso na minha boca, e ele retribuíra fazendo o mesmo comigo. Ele, todo animadinho logo em seguida meteu o cacete nela. Gozei muito! Foi muito bom!!! E ele me chamando: Vem, cá, minha putinha casada...ta na hora de gozar e engolir esse caralho com essa bucetinha , tesuda!. Eu adoro receber aquela vara é muito grande e arromba minha buceta. Edu sorria satisfeito, abria minhas pernas, e metia arregaçando bem minha bucetinha. As mãos do Edu arreganhavam minhas nádegas, e a xoxota abria-se lentamente e engolia o caralho grande e duro. Eu comecei a urrrar e chorar no caralho do Edu, gritava a cada estocada daquela rola, não se importava com nada, nem lembrava do meu corninho que dormia tranquilamente no andar de cima. Enquanto sua esposa estava totalmente arreganhada no sofá da sala, a mercê daquele caralho enorme que a subjugava. E Edu falava: Olha meu amorzinho como está sendo fudida, não era isso que você queria! Vou fazê-la engolir tudo nessa boceta!. Ele metia fundo. Depois de muito tempo pela intensidade (foram só 3hora de prazer), nos abraçamos bem forte nossos corpos e gozamos juntos, e ficamos desfalecidos por alguns instantes. Na minha cabeça só de imaginar que era o primeiro dia de meteção com o Edu naquele fds eu já ficava molhadinha. Ele deixou minha buceta toda arrombada, inchada e vermelha. Na hora que resolvemos ir para o quarto o excesso de porra do Edu escorria pela minha coxa, enquanto a gente caminhava. Fomos tomar um banho e dormir, já que tínhamos vários dias pela frente, longe de tudo e todos. Quando acordei na manhã de sexta-feira, Paulo já estava de pé. Disse que iria até o supermercado comprar umas coisas, embora eu tenha dito que não precisava, ele fez questão, queria mostrar o tão corninho que se tornou. O supermercado ficava um pouco distante da casa, então ele pegou a chave e foi com o nosso carro. Assim que Paulo saiu voltei até o quarto onde Edu ainda dormia. Ele estava só de sunga e eu, ainda de camisola. Comecei a beijá-lo e já passando as mãos no seu pau, que logo deu sinal de vida. Ele abriu os olhos e perguntou: Bom dia, cadê Paulo?, ao que eu respondi: Relaxa, o feriado é só pra nós. Ele ficou louco e me puxou pra cima dele com vontade, levantando minha camisola e esfregando seu pau na minha bucetinha ainda por cima da calcinha, enquanto suas mãos passeavam pelo meu corpo. Sedentos de prazer, tiramos a calcinha e a cueca e, sem ao menos fazermos umas preliminares, minha bucetinha engoliu aquele cacetão. Eu estava por cima, e desta vez era eu quem comandava. Cavalgava naquela pica como uma louca, e ele pedia: Isso, mais... goza junto comigo, apertava meus petinhos, metia o dedo no meu cuzinho, dizia: Quero seu cuzinho... Você vai dar seu cuzinho pro seu macho esse fds, vai? Quero encher ele com a minha porra, quero fazer você gritar de prazer... e naquele entra e sai delicioso, chegamos ao orgasmo juntos, e foi demais!!! Quando estávamos nos refazendo, ouvi um barulho na porta. Era meu corninho que havia chegado das compras. Lá de baixo ele perguntou, como está o casal de pombinhos? Eu respondi: Estamos no quarto e bem!. Troquei-me, coloquei um biquíni lindo, um shortinho e desci. Ele perguntou: Edu ainda está dormindo?. Respondi, não ele acabara de gozar gostoso comendo a bucetinha da sua esposinha... RS...Vai tomar um banho e já desce. Arrumamos as compras que ele fez, esperamos o Edu tomar um café e fomos os três pra praia tomar um sol e curtir um pouco. Mais um dia se passou e tudo correu bem, sarros na água, na areia e nos quiosques, tudo no maior respeito e integridade do meu casamento. À noite, fomos ao centro da cidade, no intuito de tomarmos um vinho e comprar umas coisinhas pessoais. Perdemos noção do tempo e ficamos bebendo vinho e papeando até às 2h da manhã. Paulo meu marido estava muito fogoso, talvez pelo excesso de bebida, e queria fazer amor de qualquer jeito conosco, eu disse para ele que não, quem me comeria nesse feriadão seria só o Edu, e que se ele quisesse ficasse batendo uma, vendo eu receber a vara de outro homem. Fomos embora pra casa e mal entramos, e já fui pegando Edu pela mão e arrastei para o quarto, onde rapidamente nos despimos e ele começou a chupar cada um dos meus seios, como um bebezinho e eu gritava dizendo chupa, chupa, me mata de tesão, ele os abocanhou e ficou mamando longamente cada um dos seios, chupando e mordiscando os mamilos, passando a língua, e eu não conseguia conter os gemidos, eu continuava a me molhar tanto que sentia meu liquido escorrer pelas coxas e meu corninho coitado, a tudo via sentado numa poltrona ao lado, batendo uma punheta. Depois Edu começou a me descer mais, até minha boca chegar em seu pênis grande e grosso, eu comecei a chupar, beijar e babar naquele mastro. Ele se curvou e começou a acariciar minha vagina, do clitóris até o anus. Ele olhou para mim, e perguntou, posso te foder agora, não agüento mais, eu assenti com a cabeça. Ele disse então pede para seu corninho pedir pra eu te comer Eu disse, Amor você não quer me matar de tesão né, pede para o malvado do Edu, por favor me come toda, ele continuou, dizendo que eu tinha que pedir para o corno pedir para meter o pau na esposinha puta dele, e eu disse, por favor, Paulo fala pro safado me foder logo com esse pauzão...Paulo já tava de cara que queria participar, e agora teria que pedir pra outro homem comer sua esposa. Eu falei pra ele: Quem manda ter o desejo de ser corno, e era a primeira vez naquele fds que Paulo assistia, nos dias anteriores ele dormia tranquilamente em seu quarto. Paulo, olhou pra mim e falou: Edu, come essa vadia logo, apaga o fogo dela!!...Aí Edu prontamente atendeu o pedido e começou a pincelar aquele pauzão na minha bucetinha. Eu doida pela situação, gritava: me come, me fode, por favor, não estou agüentando de tesão. Ele com as mãos, encaixou a cabeça do pênis na minha vagina e começou a penetrar lentamente. Eu só sentia o quanto Edu era bem dotado, ia me abrindo toda centímetro a centímetro, bem lentamente enquanto ele me beijava e nossas línguas se encontravam. Sentia a cabeça do pênis tocar meu útero, e falava pro meu corninho que nunca senti o pinto dele assim. Edu dizia, puta merda, que delicia de buceta nossa mulherzinha tem hen Paulo, apertadinha, quente, molhada, lisinha e mordendo meu cacete. Quando entrava tudo, ele com as mãos fortes me suspendia para que o pênis fosse saindo pouco a pouco e depois enterrava tudo outra vez, só para provocar o Paulo, que queria curtir aquele momento junto mais só ia ficar no desejo. Passado algum tempo que seu pênis invadia minha bucetinha, não agüentei e gozei aos gritos, sentindo um grande tesão. Comecei a estremecer e a gemer, e ele não agüentou e ejaculou dentro, bem no útero, gritando puta que o pariu, não agüento mais,vou encher sua bucetinha, toma meu leitinho, toma, senti um jato forte, quente e prolongado em várias golfadas. Metemos gostoso até umas 5horas da madrugada, em várias posições, mas para não deixar meu corninho triste não quis dar o cuzinho para o Edu naquela noite e fomos dormi, descansar depois de uma bela foda. Na manhã de sábado, eu ainda me sentia toda melada e logo que acordei, fui direto para o chuveiro. Coloquei meu biquíni mais sensual que havia comprado e fui preparar o café. Enquanto os rapazes não desciam, eu imaginava as trepadas maravilhosas que tive, mesmo não dando o cuzinho para o Edu que estava insaciável. Pensava comigo mesma, que ótima escolha de amante eu fiz. Quando estava tomando café, os dois desceram. Paulo só de sunga e Edu de bermuda. Percebendo a intenção de Edu, eu disse: Pelo que eu estou vendo vão todos à praia e eu vou ficar sozinha, né?; Paulo respondeu: Ué! E você não vai à praia por quê?; respondi que queria fazer uma comidinha gostosa pra gente, que estava sentindo falta de comida caseira. Edu se ofereceu então para ficar e me ajudar, mas eu disse que estava brincando e não via problemas em ficar sozinha. Que eles poderiam aproveitar a praia e que de repente eu apareceria depois. Mais ou menos uma hora e meia depois, ouço um barulho na porta e, tal qual não foi nenhuma surpresa, era Edu. Disse que não poderia deixar de aproveitar que eu estava só e inventou de comprar uns peixes, dizendo para Paulo que levaria pra eu preparar, já que dissera que iria fazer almoço. Como eu já disse, passávamos praticamente o dia todo com trajes de banho, basicamente pouca roupa, o que, no meu caso, facilitava bastante. Ele já chegou me agarrando, me beijando e deslizando as mãos sobre o meu corpo. Afastou a parte de cima do meu biquíni e chupou os meus peitinhos, me deixando louca. Eu já tentava abrir sua bermuda, queria ver, acariciar e chupar aquele cacete maravilhoso, que já estava em ponto de bala. Foi quando, metendo as mãos na minha bunda por baixo do biquíni, ele disse: Vou comer esse cuzinho agora, não vou?; aquilo foi suficiente pra me subir aquele calor. Respondi: Claro! Era tudo que eu queria!; Ele tirou os lacinhos do meu biquíni, que desceu pelas minhas pernas. Ele me segurou pela cintura levantando meu corpo, eu abracei-o com minhas pernas e assim fomos para a sala. Ele me deitou no sofá e passava o pau na entrada da minha bucetinha, lubrificando-a cada vez mais, e alternava com o meu cuzinho. Fez isso diversas vezes, enquanto com os dedos, fazia movimentos circulares nele, ora metendo o dedo até o fundo, para atiçá-lo cada vez mais. Tinha a sensação de que meu cuzinho estava piscando de tanto tesão e pedi: Vai, meu amor, meu garanhão... Mete esse pau no cuzinho da sua putinha casada, vai...; ele imediatamente me colocou de pé de costas pra ele, colocou minha perna esquerda sobre o sofá e começou a meter só a cabecinha daquele cacete no meu cuzinho. Eu já gemia de excitação. Fui rebolando, rebolando bem gostoso deixando-o alucinado pra enterrar logo tudo até o talo. Quanto mais eu rebolava, mais um pouquinho entrava. Percebendo que ele não metia tudo de uma vez por medo de me machucar, empinei a bunda pra trás, enterrando tudo de uma vez. Senti uma dorzinha, que logo se transformou em prazer. Chegaram a sair lágrimas dos meus olhos, mesmo já tendo levado aquela rola por trás algumas vezes, mas o prazer que sentíamos era inestimável. Ele iniciou aquele clássico vai e vem, alternando com reboladas, onde eu sentia suas bolas batendo bem próximo da minha bucetinha. Que delícia! Eu dizia: Ta delicioso Mete gostoso no meu cuzinho, mete... Rebola gostoso que eu quero gozar no teu pau socando meu rabo...; Invertíamos de posição toda hora. Ele estava alucinado, já havia passado um tempão quando ele disse: Aiiiii... Vou gozarrrrrrr!!! Você me deixa louuuuuuuuco!!!; e explodiu num gozo delicioso, que eu sentia queimar dentro de mim. Ele continuou metendo no meu cuzinho, e com as mãos, acariciava o meu clitóris, que estava durinho e saliente de tanto tesão. Mais alguns segundos e eu também explodi num gozo frenético, gemendo: Que pica maravilhosa, não para que eu vou gozar. E quanto mais eu falava, mais ele metia. Foi maravilhoso dar meu cuzinho pra ele novamente. Tomamos um banho juntos e ele voltou pra praia, para encontrar com o Paulo no quiosque. Combinamos que ele diria que eu não fui para continuar preparando o almoço. Por volta das 14h, Edu e Paulo chegaram para almoçar. O resto do dia foi normal para todos. Não saímos à noite, pois queríamos aproveitar o ultimo dia antes de voltarmos para casa. Edu falou pro Paulo, é hoje que vou fuder sua esposa, minha putinha a noite inteira. Ele me arrastou para o quarto e assim chegando lá, ele foi me beijando e tirando minha roupa, praticamente nada, porque continuava só de biquíni e ele de bermudão. Fiquei peladinha, e ajudei-o a tirar a sua. Nós dois pelados e ele me olhando. Eu perguntei: -O que foi? Porque está me olhado assim? Ele disse: -Porque eu adoro olhar você pelada por completo. Seus peitos, sua bucetinha e suas pernas. Seu corpão lindo e gostoso que você tem, fico grato do Paulo deixar eu ser seu amante, você é linda demais e começou a me beijar, e daí foi chupando meu corpo, descendo até a buceta, onde deu um banho de língua em mim, que nesta altura eu já enfiaria qualquer coisa dentro de minha buceta, pois não agüentava mais de tanto tesão. Ele me pegou, me levou até a cama, e pediu para que eu chupasse o seu pau. Fizemos um 69 e depois ele começou a chupar de novo minha buceta e eu gritando: -Quero pau na minha buceta. Enfia essa tora na minha buceta me rasga por inteira e depois atola esse mastro no meu cú, e meu corninho só vai ficar olhando de novo e batendo sua punhetinha. Logo Edu começou a colocar o pau na entrada de minha buceta e eu gritei: -Enfia tudo de uma vez. Mas ele foi devagarzinho, colocando na minha buceta, só para me provocar. Eu desesperada gritava: enfia tudo até as bolas do seu saco, junto. Arregace minha buceta. Ai ele enfiou tudo de uma vez e ficou bombando. Não demorou e eu gemia de felicidade. Estava gozando com aquele cassetão duro dentro de minha buceta e vendo o Paulo batendo uma, vendo a cena de sua linda esposinha levando vara de outro. Ele continuava metendo e eu gozando bastante mesmo. Depois de muitas gozadas por minha parte, ele disse: - Agora empina esse rabão praticamente na cara de seu corninho que ele vai ver como se come um cu de uma safada casada. Ai que tesão me dá ouvir e falar assim, provocando meu maridinho. Eu perguntava pro Paulo: Você não acha ruim ele falar assim com você. Ele disse: - Adoro ver vocês dois metendo, a única importância pra mim é que ele te faça gozar gostoso, e desde que te liberei para realizar minha vontade de ser corno já era com segundas intenções de te fazer uma putinha, dando pra outros homens, agora só para o Edu, mas só entre quatro paredes, respeitando nossa vida social. Enfim, Edu com calma, e muito bem lubrificado penetrava no meu cú, sem nenhuma dificuldade e eu gritava: Fode gostoso meu macho, faz eu gozar nesse paú pelo meu cuzão. Ele acelerou o ritmo das estocadas e depois de algum tempo gozamos os três junto, Edu e Eu na cama e meu corninho com sua punhetinha na poltrona na barriga coitado. Fomos tomar banho juntos. Chupei sua rola de novo e continuamos a meter mais, até se cansar. Eu estava feliz, realizda pelo feriado prolongado que eu tive, era pau na buceta e no cú, mais as chupetas que ele gostava tanto. Adoro meu amante e mais ainda amo meu marido por me deixar aproveitar o melhor do sexo. Fomos dormir altas horas da madrugada, satisfeitos para descansar para a viagem de volta no domingo. Ao amanhecer, preparamos um café da manhã reforçado para recuperamos as energias e seguirmos de volta para casa, pois Paulo queria chegar cedo em casa. Logo após o café, fomos preparar as coisas para a volta. Voltamos tranqüilo para casa. Agora até a próxima, e se gostaram, me escrevam. Ficou longo, mas quis contar os detalhes de como foi maravilhos. Beijos deliciosos... como eu! rs...
E-mail= garsan23@ibest.com.br