Comentários no Blog

Procure um conto que você mais se identificou e deixe nele um comentário falando o que quiser e fazendo o seu classificado ou propaganda para conseguir contatos.

Se preferir enviar um conto, remeta para maridodaisabela@gmail.com

segunda-feira, 1 de dezembro de 2008

Experimentei pegada forte e fiquei vulnerável

Sou casada há cinco anos com meu marido que sempre me deu de tudo ou quase tudo na cama e fora dela. Não tinha do que reclamar, ele sempre foi um homem bom e gentil e carinhoso comigo. Porem, de uns tempos para cá, sempre que transávamos, eu sentia que ficava um pouco insatisfeita, não era pelo sexo dele, nem pelo tamanho de seu pau que era suficiente e até grande um pouco para mim, quase 21 cm e bem grosso, às vezes até deixa minha buceta bem dolorida.

Quando completamos cinco anos de casados, meu marido fez uma surpresa bem legal, ele comprou um filme pornô para aquecer mais nossa transa de aniversário. Assistimos todas as cenas, mas uma em especial me deixou arrepiada, quando um cara transava com duas mulheres e pegava elas com força, batia em seu bumbum com vontade, parecia um bruto, mas elas gostavam. Fiquei molhadona e doida para dar muito. Meu marido percebeu e me pegou com força, mas sentia muito medo de fazer qualquer coisa bruta comigo.

Apesar de ter um corpo bacana, sou morena de cabelos negros e cumpridos. Adoro malhar e sentir que meu corpo ainda esta em forma e saudável. Um dia na academia, uma amiga minha disse que tinha transado com um cara bem forte que malhava em nossa academia e que ele era bem grosso na cama, e que ela nunca tinha experimentado, mas tinha adorado.

Fiquei cheia de tesão e curiosa que até minha amiga percebeu e soltou uma piadinha: Nossa amiga, acho até que você precisa experimentar!. Eu ri, mas depois a cortei e falei que meu marido era muito bom e suficiente para mim. Mas admito que toda vez que esse amigo nosso passava por mim, meu coração disparava e eu ficava quente de tesão. Como não poderia ser diferente, uma hora ele percebeu, mas como sabia que eu era casada, respeitou.

Mas um dia aconteceu uma coisa inesperada, a academia estava vazia e estava muito quente, chovia gostoso. Eu fui no primeiro andar onde ficavam os banheiros e a sauna, que estava desligada e me apoiei na janela para ver o céu que tinha uma lua bonita, quando percebo que esse meu amigo chega por trás de mim, sinto seu pau latejando de duro em minha bunda, ele pega forte em minha cintura, parecia que ia furar minha calça de malhar colada no corpo. Arrepiei toda e soltei um gemidinho reprimido. Falei que não devia ele nem ligou para minhas palavras, me segurava forte e ali mesmo na janela pegou nos meus seios com tanta força que pensei que ia esmagar-los, doeu, mas senti muito tesão. Minha buceta latejava e estava molhadona.

Ele baixou minha calça, parecia que queria me estuprar, mas com meu consentimento. Uma mão segurava meu corpo. A outra manipulava minha calça e de repente sinto seu pau invadinho minha buceta. Que sensação gostosa, o pau dele entrou sem problemas apesar de também ser grande, mas devido minha lubrificação, entrou com tudo. Ele me apertava, me xingava aos ouvidos, parecia uma puta, um animal em suas mãos. Senti que ia gozar, ele tapou minha boca porque já estava gemendo alto e gozei como louca com seu pau. Ainda mole do gozo, vejo ele tirar o pau da minha buceta e começar a forçar meu cu, fiquei arisca, mas como estava sem forças foi em vão, não queria, aquilo não, meu marido só tinha feito uma ou duas vezes, falava sussurrando para não nos ouvirem que não fizesse aquilo, mas ele disse: Quando eu começo, ninguém me pára!.

Ele foi forçando, senti muita dor, mas o tesão foi aumentando e seu pau entrnado, quando percebi já estava atolado em meu cu. Ele bombou com força, sem me largar e começou a mexer em meu grelo, tudo com muita grosseria, que gozamos juntos. Ele encheu meu cu se porra, escorria por minhas pernas e melou minha calça de malhar toda. Ele se vestiu, me vestiu e saiu. Eu ainda fiquei ali por alguns minutos mole sem saber direito o que tinha acontecido.

Naquela noite disse ao meu marido que tava indisposta e casada e que queria dormir cedo, ele não se importou e tive uma noite estranha, me sentindo suja e ao mesmo tempo realizada.

Engraçado, no outro dia esqueci o assunto. E apenas o guardo em minhas lembranças. Nunca mais aconteceu nada, pelo menos até hoje, porque o tal amigo da academia não repete suas transas, mas admito que se ele me pegar novamente, não conseguirei resistir.

By: Moren@

Que Lua de Mel...




Ola Sou empresário na região dos lagos - RJ, e o que vou relatar agora aconteceu na minha curta lua de mel.
Meu nome é Fabio, eu e minha esposa Mara fomos para serra em um breve fim de semana sem nossos filhos. Tenho 41 anos e ela 38, ela é linda loira de olhos verdes e muito quente na cama. Logo que chegamos as 22:00 fomos para o chalé e nos amamos a noite toda. Comi aquela safada de todo jeito menos o cuzinho, pois tenho o pau com 18 cm e bem grosso.
Quando acordamos fomos direto pra cachoeira e tive a grata presença de um casal com seus três filhos tomando banho, logo fizemos amizade e eu me sentei e fiquei conversando com a Marta dentro dagua encantado com sua beleza falamos de amenidades e rimos muito, pois alem de bonita ela é muito alegre.
Quando ela levantou fiquei hipnotizado pela sua bunda que por mais que ela tentasse puxar o biquíni ele insistia em ficar enfiado no seu cuzinho, a vontade que tive foi de agarrar aquela mulher ali mesmo colocar ela de quatro e cair de boca naquele cuzao.
Porem me contive, fique conversando e disfarçando até meu tesão baixar, depois levei minha mulher pro quarto e comi ela gostoso, pedi seu cuzinho e ela ate tentou mais não agüentou. Gozei na sua cara e ela falou que eu estava tarado.
À noite saímos para comer um crepe e encontramos com a família de novo.
Marta estava com uma calça jeans colada tive uma breve ereção e minha mulher achando que era com ela, ficou-me punhetando ate eu gozar na sua mão depois lambeu tudinho.
Fomos para a pousada e ficamos jogando sinuca quando a Marta entrou e começou a jogar com agente, e eu louco pra comer aquela mulher, rasgar sua camisa e me acabar em seus seios. Minha esposa falou que iria pegar uma gelada pra nós, e eu tinha que aproveitar a chance, na hora de dar uma tacada errei a bola e Marta riu, eu disse que não valia que ela estava me sabotando, ela disse: como?
Eu disse: com esse decote e essa calça não tinha como me concentrar, que estava torcendo pra minha mulher voltar entes que eu fizesse uma bobagem, ele riu e disse: que pena bem que iria gostar de uma loucura assim.
Puxei-a pra perto da janela e arranquei sua calça afastei sua calçinha e lambi aquele cuzinho que piscava na minha boca. Mandei-a vigiar a janela e continuei lambendo seu cu e sua buceta cheirosa ate ela gozar na minha boca, levantei e vi seus olhos brilhando, beijei sua boca gostosa e ela se ajoelhou colocou meu pau pra fora e fez um boquete delicioso, quando ia gozar avistei seu marido vindo em nossa direção, falei com ela que imediatamente gritou pela janela pra ele pegar o repelente no chalé, olhei aquela bunda enorme mirei minha pica na sua buceta que pingava de tesão e enfiei de uma só vez, ela gozou na hora, bombei ate encher sua boceta, e falei que ainda queria o cuzinho dela mais tarde, pois o marido dela estava voltando com o repelente. Ela se arrumou me beijou e foi receber seu marido com um beijo na boca que ele ficou surpreso.
Ela falou que não queria mais jogar e chamou o marido para ir para o chalé, cheguei perto dela e perguntei se iria dar a bucetinha apertada cheio de porra pra ele, ela falou: antes vou tomar um banho.
Fiquei louco, doido para entrar naquele quarto e comer ela junto com o marido, colocar ela mamando na minha pica enquanto ele a comia de quatro.
Fui para o bar e encontrei com minha mulher e mais uma vez arrastei ela pro chalé e dessa vez não tive pena lambi seu cizinho ate ele piscar na minha boca, peguei uma manteiga no frigobar untei aquele cu e mandei a pica pra dentro bem devagar ate entrar tudo, depois que ela acostumou começou a rebolar feito doida e teve seu primeiro orgasmo anal gritava feito louca e dizia que estava bom de mais e se tivesse outra pica enfiava na boceta.
Na hora imaginei o Rodrigo, marido de Marta comendo minha mulher também. Mais como faria isto visto que toda vez que víamos um filme perguntava pra ela se tinha coragem de encarar dois homens e ela sempre dizia: NUNCA. Gozei no seu cuzinho e deixei-a deitada na cama, ela falou que ainda estava com muito tesão, falei que iria no carro pegar a câmera pra tirar umas fotos do seu cuzinho, sai e vi Rodrigo sentado em um banco descansando fui falar com ele e perguntei pela Marta ele disse que ela tinha ido a sorveteria com as crianças.
Rodrigo me perguntou se eu tinha cigarro, e na hora me deu um estalo, lembrei da Mara deitada na cama nua e falei que no chalé tinha que a porta estava aberta era so pegar, e sai rápido em direção ao carro peguei a câmera e voltei correndo pra ver o que ia acontecer. Cheguei e fiquei na varanda do chalé que fica bem afastado e em frente a um lago, Rodrigo estava parado em frente à cama olhando o corpo nu de minha mulher, ele começou a alisar seu pau colocou ele pra fora, já estava duro e foi chegando perto da cama, alisou a bunda e minha mulher que meio sonolenta começou a gemer baixinho achando que era eu que rapidamente entrei no quarto mandando ele ficar quieto e calado, ele ainda alisava sua bunda e eu disse: ainda esta com muito tesão?
Ela disse que sim que adorou dar a bunda mais queria dar a boceta que estava piscando.
Mandei ela ficar com os olhos fechado, pois tinha uma surpresa para ela. Vendei seus olhos e falei pra ela ficar de quatro enfiei um dedo em seu cuzinho e disse que ante de comer sua boceta que estava toda babada comeria seu cu mais uma vez. Ela disse que iria adorar, então empurrei Rodrigo que apontou sua pica no cuzinho dela e foi empurrando ela gemia e dizia que seu cuzinho estava arrombado pois não estava sentindo muita dor. Falei que uma vadia feito ela tinha que ter o cu arrombado, e perguntei se estava pronta pra surpresa.
Ela disse que sim, Rodrigo bombava em seu cu, sua bunda estava muito empinada, cheguei na sua frente me agachei e falei em seu ouvido: Beija minha boca e chupa meu caralho que vou foder sua boceta também.
Ela levou um susto tentou tirar a venda e olhar pra trás pra ver quem estava lhe enrabando. Falei pra ela não fazer isso e relaxar e aproveitar, já que ali ninguém nos conhecia e que eu estava fazendo o maior sacrifício vendo ela ser enrabada e sentindo tanto tesão com outra pica. Ela tentou reclamar então enfiei o pau em sua boca segurando sua cabeça e estocando com vontade.
Perguntei se ela queria pica na boceta também e ela disse gemendo muito que sim, então mandei ela pedir, ela falou:
- eu quero.
- o que?
- que você me coma
- pedi direto.
- eu quero que você foda minha boceta junto com esse homem.
Então deitei na cama puxei ela pra cima de min e atolei meu pau na sua boceta, Rodrigo veio por trás e foi empurrando seu pau no seu cuzinho.
Eu nunca vi uma mulher tão excitada e tão louca como a minha ficou, ela gritava, rebolava, gemia, e gozava inúmeras vezes.
Rodrigo falou que não estava agüentando e iria gozar, então ficamos em pé na cama e Mara ficou deitada, mandei ela pedir pra gente gozar em cima dela.
- goza meu amor, gozem em cima de mim.
Gozamos muito, dando um banho de porra naquele corpo branquinho.
Nisso, escutamos a Marta chamando na porta, já comecei a bolar um jeito de ter ela na cama também.
Mandei Rodrigo pro banheiro e minha mulher ficar na cama e não tirar a venda.
Me enrolei na toalha e com o pau meio duro e muito suado, abri a porta o suficiente pra ela ver Mara toda gozada na cama.
- Rodrigo esta por ai?
- O que você acha?
- Acho que eu queria estar no lugar dela.
- E será que você ia agüentar tudo que ela agüentou.
- Paga pra ver.
- Vou dar um jeito de pagar.
- Vou esperar...
- Se ver seu marido, manda ele aqui pra me ajudar a apagar o fogo da minha mulher.
- Engraçadinho, você não teria coragem.
- E você teria coragem?
- Não me provoca. Alem do mais eu não curto mulher.
- Já experimentou? E se seu marido estiver junto?
Em um rápido movimento coloquei minha mão em sua boceta por baixo da saia e vi que estava encharcada. toquei uma siririca rápida nela que começou a gemer, meu pau já estava duro quando minha mulher me chamou. Mandei Marta dar uma volta que iria me encontrar com ela.
Entrei fui direto ao banheiro falar com Rodrigo que já estava vestido e muito nervoso, o acalmei e perguntei se ele tinha gostado, ele falou que foi a melhor experiência que teve, retruquei dizendo que ele não estava no meu lugar vendo minha mulher numa dupla penetração.
Ele disse que não tinha coragem de propor isso a ela, mandei ele ir embora que já me encontrava com ele.
Fui falar com minha mulher que ainda estava vendada, disse que nunca tinha se sentido tão mulher e que eu era o homem de sua vida, perguntou quem era o homem que lhe enrabou, eu disse que se ela se comportasse chamaria ele de novo e desta vez sem venda.
Ela disse que estava esgotada, falei pra ela descansar um pouco que daria uma volta de cavalo.
Sai do quarto e foi atrás do Rodrigo, encontrei ele no bar e fui logo falando.
- Cara que loucura foi a melhor trepada da minha vida.
- Eu também gostei muito, nunca pensei que na hora que entrei naquele quarto iria encontrar ela nua na cama. Pensei em sair mais ela começou a se mexer e vi sua buceta depilada, me deu um tesão, quando dei por mim você já estava no quarto. Foi tudo muito rápido e gostoso, pena que a Marta chegou.
- E você, teria coragem de fazer o mesmo com a Marta?
- Não sei. Não sei se ela aceitaria.
- Porque você não tenta, te garanto que você vai sentir muito tesão em ver ela sendo possuída por outro macho.
- Não sei nem por onde começar, e ainda tem as crianças.
- Deixa que eu dou um jeito
- Perai, isso tudo é vontade de comer minha mulher.
Lembrei da provocação dela ( PAGA PRA VER )
- Também, mais gostaria de retribuir a você o prazer que você me deu e a porta que você abriu para futuras aventuras que com certeza teremos.
- E o que você esta pensando em fazer?
- Leva ela pro quarto, depois eu chego te procurando você sai e me deixa sozinho com ela se eu ver que tenho alguma chance eu caio matando e acendo a luz da varanda, depois você volta e já entra nu. Se eu ver que não vai rola nada eu fico te esperando e nos vamos dar um jeito de pegar a minha mulher de novo.
Sai de lá e foi na recepção procurar a monitora pra distrair as crianças. Falei com ela que iríamos fazer uma cavalgada e que minha esposa estava dormindo e se ela acordasse era pra me esperar com as crianças.
Segui em direção a chalé deles, chegando lá encontro Marta só de roupão saindo do banho, linda, cheirosa.
Perguntei para Rodrigo se não tava a fim de uma cavalgada, ele disse que sim que iria ver se tinha como arrumar os cavalos.
Saiu e me deixou sozinho com aquela mulher maravilhosa.
Fui em sua direção baixai seu roupão e a deitei na cama chupando sua boceta cheirosa, ela gemia e dizia que eu era louco, eu falei.
- Só estou pagando pra ver se você agüenta tudo o que Mara fez.
- Pelo estado dela eu faço idéia do quanto ela gozou e você também, pois tinha muita porra em cima dela.
Dei uma lambida no seu cu e disse enquanto ela gemia.
- Aquela porra toda não era só minha, arrumei um cara pra fazer uma dupla penetração nela e quero ver se você tem essa coragem e esse fogo todo.
Ela gozou muito e falou que não podia tinha as crianças e seu marido.
Levantei coloquei ela de quatro e fiquei pincelando a pica na entrada de sua boceta. Ela gemia e pedia pra eu enfiar tudo.
- Já pensei nas crianças e seu marido vai cavalgar. Você falou que queria estar no lugar da Mara e eu já resolvi tudo, só depende de você.
- Eu faço qualquer coisa mais enfia essa pica em mim agora.
Me afastei, acendi a luz da varanda peguei a fita do roupão e vendei seus olhos, ela tentou reclamar mais disse que fiz o mesmo com Mara.
Deitei na cama e mandei ela cavalgar no meu pau, pra minha surpresa ela virou sua bunda pra mim e sentou segurando meu pau e foi enfiando no seu cuzinho.
Ver aquela cena quase me vez gozar, seu cu ia engolindo todo meu pau, depois ela começou a rebolar e gritar e eu dizia o quanto ela era gostosa, nisso a porta abre e Rodrigo entra com o pau na mão, ficou parado olhando e se punhetando ele sentou na poltrona e ficou por um instante olhando aquela cavala dando com gosto pra outro homem.
De repente ela começa a me perguntar cadê o outro homem, ou era tudo mentira? Nisso Rodrigo se levantou e veio em nossa direção. Segurei seus braços e ele deitou na frente dela e começou a chupar aquela buceta com minha pica toda enfiado no seu cu.
Ela enlouqueceu, perguntou quem era? eu disse que não interessava.
Rodrigo levantou e enfiou toda sua pica na boceta de sua mulher que perguntou:
- Rodrigo é você?
Ele não respondeu e continuou bombando e ela gemendo, gemendo dizendo que ia gozar que nunca sentiu isso antes que ia desmaiar.
- Vou gozar, vou gozar.
Nisso Rodrigo tira a venda de seus olhos e beija ela apaixonadamente. Dizendo
- vou gozar também meu amor.
E gozou enchendo sua boceta e eu acabei gozando muito naquele rabo que mordia meu pau.
Caímos na cama e ela perguntou para o seu marido.
- Se você esta aqui me comendo junto com ele foi você que comeu a mulher dele?
Nós rimos e fomos tomar banho, continuamos trepando com aquela Deusa por mais uma hora. E combinamos uma visita ao rio na casa deles onde vamos tentar transar todos juntos.

Amei conhecer vocês.

E-mail= pino1@ig.com.br

Mais uma fugidinha

Olá. Já fazia tempo que eu não escrevia nada aqui. Não foi por falta do que contar, mas de oportunidade mesmo.

Nos contos anteriores, vocês podem ver e saber como sou. Apenas vou repetir que sou casada, muito paquerada e assediada. Isso me faz um "bem" danado. O que irei contar, aconteceu no mes de julho/2008.
Aproveitando as férias escolares e por coincidência as minhas também, uma amiga minha me convidou para irmos até a cidade onde moram seus familiares. Isso é em outro estado.
Meu marido ficou meio desgostoso, mas acabou me deixando eu ir, já que seria com uma amiga nossa e também casada.

Viajamos numa sexta-feira à tarde, e no mesmo dia chegamos na casa dos pais da Cintia, minha amiga. No sábado ficamos em casa e na parte da tarde, fomos dar uma volta pela cidade e passamos por alguns shoppings. Em um dos shopping, a Cintia encontrou duas amigas e dois amigos dela e é claro, fui apresentada à todos. Fomos na praça de alimentação e conversamos bastante. Esses amigos da Cintia comentaram que naquele mesmo sábado, haveria um baile em um clube da cidade e nos convidaram para irmos também.
Os pais da minha amiga não se opuseram que ela fosse e acabamos indo nesse baile.

O local era bem legal e lá pelas 2 hrs da manhã, já estava totalmente lotado. Estávamos num grupo de 8 pessoas. Num determinado momento, minha amiga comentou comigo que estavam no baile, um ex namorado dela junto com outro amigo dele. Lá pelas tantas, eles passaram na nossa frente e ao ver a Cintia, o ex dela, de nome Guto, parou e ficaram conversando. Seu amigo e eu ficamos meio quietos, mas logo entramos na conversa e acabamos ficando juntos.

Naquelas alturas o Guto tirou a Cintia para dançar e eu fui dançar com o seu amigo Caio.
Isso passou mais de 1 hora e eu percebi que os dois estavam já meio assanhados, talvez relembrando os velhos tempos.

O Caio me abraçava e me segurava bem próximo dele enquanto dançávamos. Num determinado momento, senti que o Caio estava excitado, pois forçava contra minha coxa e as vezes passava pela minha xoxota. Até comecei a ficar excitada, mas fiquei na minha.
Logo vi que minha amiga e o Guto estavam se beijando ardentemente. O Caio se aproveitou da situação e me segurou firmemente e me deu um beijo. Na hora eu me esquivei, mas naquelas alturas me lembrei que eu estava longe de casa e que ninguem me conhecia. Me soltei e retribui, beijando o Caio. A Cintia acabou vendo nossa situação e logo vieram os dois e sugeriram que saíssemos do clube para irmos em outro local.

Naquelas alturas eu conhecendo minha amiga, já imaginei o que viria pela frente.
Chegamos no estacionamento e os dois se atracaram em beijos e amassos, isso fez com que o Caio também me pegasse de jeito. Estávamos nós quatro no estacionamento no maior amasso, mas correndo riscos por causa dos seguranças.

O convite inesperado surgiu do Guto e acatado pela Cintia, para irmos num lugar reservado. Naquelas alturas até eu já estava com vontade e cheia de tesão e o meu amiguinho Caio então.........., já tinha até chupado um seio meu.
Acamos indo os 4 juntos para um motel. Apesar de termos ido em dois carros, acabamos ficando todos no mesmo quarto.

Mal entramos e já fomos agarradas e sendo despidas. Quando já estávamos sem nada mais, ajudei o Caio a tirar suas roupas e a Cintia fez o mesmo com seu ex.
Fiquei impressionada ao ver o tamanho do pênis do Guto. Era grosso e comprido. Acho que quase o dobro do penis do meu marido e também do Caio, seu "amigo".
Antes fomos eu e o Caio tomar um banho e depois foram minha amiga e o Guto.
Quando eles voltaram para o quarto, eu e o Caio já estávamos no maior amasso e logo partimos para um 69. Eu chupava o pau dele e ao mesmo tempo era chupada na minha bucetinha que estava toda raspadinha e também recebia umas linguadas no meu cuzinho. O safado do Caio as vezes colocava um dedo no meu rabinho, coisa que adoro.

Ao lado, minha amiga chupava o pau do Guto, mas ela não conseguia por tudo, apenas a metade. Aquilo me deixou super excitada e com vontade de provar também.
Pedi para o Caio por uma camisinha e já fui subindo sobre ele. Minha bucetinha estava tão molhada que entrou facil, até porque o pau do Caio era normal. Dei umas boas cavalgadas e nisso o Caio gozou, me deixando na mão.
Fui no banheiro me lavar e de lá, escutei um grito abafado da minha amiga. Quando voltei, vi que ela estava de 4 e o Guto quase em pé, tinha atolado quase todo aquele cacetão no ânus da minha amiga. Ela gemia e até soltava uns gritos, mas logo foi se acostumando e depois só gemia de prazer.
Eu vendo aquilo, fiquei excitadíssima. Cheguei perto para ver direito. Nisso minha amiga me perguntou se eu também queria provar o Guto. Eu é claro que respondi positivamente. Aí ela disse. depois vc prova.

Eles treparam gostoso e mudaram de posição, onde acabaram gozando os dois, mas com o Guto comendo a buceta da Cintia.
Depois de mais de meia hora, o Caio já estava me acaricindo, me deixando louca para provar o cacetão do Guto. Sabendo da minha vontade, a cintia pegou o Caio e começou a chupar seu cacete e eu é claro, fui fazer o mesmo no Guto. Nossa....... como era grande e grosso. Minha boca chegava a doer.

Como eu estava louca de desejos para sentir aquela pauzão em mim, me deitei de lado e o Guto ficou atras de mim. Ele colocou uma camisinha, molhou seu cacete com saliva e foi empurrando para dentro da minha buceta. Apesar da lubrificação que eu estava e o desejo, senti um leve desconforto, mas logo passou e deixei que o Guto enfiasse até onde dava. Parecia que minha virgindade estava sendo perdida naquele momento. Com minha mão, quis saber se tinha entrado tudo ou faltava alguma coisa. Percebi que faltava só um pouco, aí resolvei ir de encontro ao cacete e assim recebi tudo, batendo lá no fundo. Até soltei um gritinho, mas já estava adorando.

O Guto começou a por e tirar, me fazendo sentir um prazer enorme. Como eu já estava super excitada, logo tive meu gozo merecido.

Minha amiga acabou gozando também com o Caio, que gozou dentro da sua buceta.
Eu já com uma gozada atingida, continuava a receber as metidas do Guto na minha buceta, que já estava até inchada. Em um determinado momento, senti que o Guto tirou tudo pra fora e estava pincelando meu cuzinho. Ainda bem que eu já tinha dado meu cuzinho muitas vezes, por isso acabei deixando que ele metesse no meu rabinho.
Na mesma posição que estávamos, deitados de lado, eu levantei uma perna para facilitar as investidas do Guto. Ele muito calmamente foi dando suas cutucadas e em seguida senti que a cabeça entrou. Me arrepiei um pouco e até uma slágrimas sairam dos meus olhos, mas aguentei firme. Aos poucos ele foi colocando e eu sentindo meu cuzinho ir se abrindo todo para agasalhar aquele salame italiano. Não passou dois minutos, eu já estava com tudo atolado no meu rabo. Minha nossa........, eu chegava a gritar, porque a sensação era incrivel. Parecia que eu tinha uma garrafa na bunda.

Mas como dizem, quando vc quer, vc aguenta e gosta, isso estava acontecendo comigo. Pedi ao Guto que enfiasse com força na bunda, pois queria aproveitar bastante. O danado atendeu meu pedido e enfiava até onde podia, me fazendo gemer e gritar.
Como eu sentia que assim eu não iria gozar, pedi para ele por na minha buceta novamente.
Ele tirou a camisinha, me deitou de barriga pra cima, levantou minhas pernas, assim fiquei toda arreganhada. Ele estando entre minhas pernas, foi enfiando até por tudo e fazer tocar no fundo da minha buceta, agora bucetão.

Nessa possição, não teve como evitar e após uns 4 minutos levando estocadas leves e bem fortes, gozamos juntos. Naquelas alturas nem me preocupei que não tinha camisinha e minha vagina ficou cheia do gozo do Guto.
Minha amiga e o Caio chegaram à aplaudir nossa transa.
Descansamos um pouco, tomamos um bom banho e devido a hora, voltamos para casa.
O dia já estava quase clariando. Os pais da Cintia perguntaram onde ficamos até aquela hora? a Cintia disse que estávamos numa lanchonete com os amigos e amigas.


By: Cláudia Maria

E-mail= mulhercasada.nova@hotmail.com